Cisnes brancos voltam em maior número ao Pantanal sul-mato-grossense

Conhecidos pelo nome de capororoca, os cisnes brancos da espécie Coscoroba coscoroba voltaram a incluir o Pantanal sul-mato-grossense no seu roteiro de viagens migratórias de inverno. Um grupo de mais de 70 cisnes pode ser avistado na Fazenda Rio Negro, n

  
  

Conhecidos pelo nome de capororoca, os cisnes brancos da espécie Coscoroba coscoroba voltaram a incluir o Pantanal sul-mato-grossense no seu roteiro de viagens migratórias de inverno. Um grupo de mais de 70 cisnes pode ser avistado na Fazenda Rio Negro, no município de Aquidauana.

O grupo foi avistado em uma das salinas da Fazenda mas vêm sendo observados também grupos menores, buscando a abundância de alimentos em diversas lagoas da região, principalmente na RPPN da propriedade, que é dirigida pela ONG Conservation International do Brasil.

Os cisnes devem permanecer na região até o começo das chuvas, quando começam a retornar aos banhados do sul do Brasil e da Argentina para o verão.

“De acordo com relatos do antigo proprietário da Fazenda, Sr Orlando Rondon, há quatro décadas esse processo migratório vinha diminuindo. Muito provavelmente foram as grandes secas das décadas de 60 e 70 que causaram isso”, explica Reinaldo Lourival, Diretor da CI-Brasil para o Pantanal, que registrou os primeiros avistamentos há 10 anos no Congresso Brasileiro de Ornitologia.

`Eram indivíduos isolados, tentando re-estabelecer esta rota migratória, demonstrando que a conservação do Pantanal, vai além da sua importância para a fauna local. Em países da Europa e nos Estados Unidos, vários sítios de importância nas rotas migratórias vêm sendo protegidos, como o caso das cegonhas, andorinhas e outros gansos como o Ganso canadense e o ganso do Nilo”, acrescenta Lourival.

De acordo com observações científicas feitas na Fazenda Rio Negro e em outras propriedades vizinhas na mesma região, desde 2000, pelo ornitólogo Reginaldo Donatelli da UNESP de Bauru, o número de cisnes tem aumentado a cada ano. O registro de 2000 foi de apenas 3 indivíduos.

Os capororoca chegam ao Pantanal no começo da estação seca e costumam ficar de junho a setembro. Além deles, pelo menos outras dez espécies de aves fazem da Fazenda Rio Negro ponto de parada em suas rotas migratórias, seja a partir do hemisfério norte ou da Patagônia, no hemisfério sul.

Fonte: Estação Vida


Participe da ANIMALIVRE, o ponto de encontro dos idealistas que realmente defendem os animais.

Para inscrever-se envie um email em branco para

animalivre-subscribe@yahoogrupos.com.br

Ao receber a confirmação de seu pedido, simplesmente devolva a mensagem acionando a ferramente RESPONDER

  
  

Publicado por em