Número de aves de rapina na lista dos ameaçados pode aumentar

O número de aves de rapina na lista oficial brasileira dos animais ameaçados de extinção deve aumentar a partir deste ano. A princípio, os estudiosos deverão defender a inclusão de duas espécies na lista oficial. Abrace esta Campanha! Uma delas é

  
  

O número de aves de rapina na lista oficial brasileira dos animais ameaçados de extinção deve aumentar a partir deste ano. A princípio, os estudiosos deverão defender a inclusão de duas espécies na lista oficial.

Abrace esta Campanha!

Abrace esta Campanha!

Uma delas é o caburé de Pernambuco (Glaucidium mooreorum), descrita em 2004 por um grupo de pesquisadores brasileiros, e já em situação crítica.

A segunda ave, cuja inclusão é um pouco mais polêmica, é o gavião-real (Harpia hapyja), que estava na lista anterior, mas foi retirado da atual, publicada em 2003.

A inclusão das novas aves de rapina na lista deverá ser um dos temas da reunião do grupo de especialistas que acontecerá nos dias 31 de março e 1 de abril deste ano em Brasília (DF).

Os estudiosos também avaliarão o nível de conhecimento científico e o estado de conservação dessas aves no país. Um dos objetivos do encontro é elaborar um plano de ação em âmbito nacional para ajudar a conservar esses animais que pertencem ao topo da cadeia alimentar e por isso têm um papel fundamental no equilíbrio ecológico em seus hábitats.

A atual `lista vermelha` aponta apenas três espécies da família dos falcões (falconiformes) brasileiros como ameaçados: o gavião cinza (Circus cinereus), a águia-cinzenta (Hapyahaliaetus coronatus) e o gavião-pombo (Leucopternis lacernulata). Nenhuma das 23 espécies de corujas nativas encontra-se na lista. O caburé pernambucano seria a primeira.

Mais proteção :

`A inclusão de um animal nas listas de animais ameaçados significa que ele terá prioridade em ações de conservação`, explica o ornitólogo Carlos Bianchi, do Ibama - Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis, organizador da reunião dos `rapineiros`.

Segundo ele, no caso do gavião-real, a espécie foi retirada da lista porque os especialistas julgaram que, de um modo geral, a população está bem conservada na Amazônia que não haveria necessidade de a ave estar no grupo das ameaçadas.

Todavia, alguns pesquisadores discordam, já que em determinadas regiões, especialmente na Mata Atlântica, a situação do gavião é bastante crítica. O mesmo se aplica ao Cerrado e trechos do Pantanal, onde a Harpia também ocorre. As sugestões de alteração da lista deverão ser encaminhadas ao Ibama.


Participe da ANIMALIVRE, o ponto de encontro virtual dos verdadeiros protetores que respeitam e defendem os animais.

Para associar-se : envie um email em branco para
animalivre-subscribe@yahoogrupos.com.br

Visite a Revista Ecotour :www.revistaecotour.com.br

  
  

Publicado por em

João victor ( 7 anos)

João victor ( 7 anos)

07/04/2009 17:51:57
Pessoas desmatadoras tem quem se transformar em ecologistas.

Allan santana

Allan santana

11/12/2008 22:52:32
náo só o desmatamento ,nem poluição nem aquecimento global são responsáveis pelo desmatamento.o maior responsável por isso é o maldito homen.