Setembro é o mês do papagaio - verdadeiro

Todas as atividades são desenvolvidas com o apoio de uma equipe composta por biólogos, médico-veterinários, zootecnistas e auxiliares de campo.

  
  

Considerado o "melhor falador" do Brasil e o terceiro entre todos os psitacídeos, o Papagaio Verdadeiro ganha um mês só para ele. De 1 a 30 de setembro, todas as pessoas que visitarem o Refúgio Ecológico Caiman (REC) terão a oportunidade de conhecer a fundo esta espécie, vivenciando o programa temático Papagaio-Verdadeiro, com saídas a campo com os pesquisadores do projeto por meio período, como também aprender sobre a biologia e ecologia da espécie, visando sua preservação.

Coordenado pela zootecnista e doutoranda em Ecologia e Conservação/UFMS, Gláucia Seixas, o Projeto Papagaio-Verdadeiro foi fundado em 1997 e tem como objetivo chamar a atenção para um importante aspecto: a retirada desses animais da natureza, sem nenhum critério, e a destruição do ambiente onde vivem que podem vir a contribuir para a extinção da espécie. Além de mostrar os danos que o homem vem causando à natureza, decorrentes do tráfico de animais silvestres.

Muitos resultados já foram produzidos ao longo desses anos, incluindo informações sobre: monitoramento de papagaios apreendidos e soltos com o uso de radiotransmissor; monitoramento de ninhos, ovos e filhotes de papagaios de vida livre; monitoramento de dormitórios coletivos de papagaios nativos e verificação do padrão de atividade diária dos papagaios e o uso dos recursos naturais para alimentação e reprodução.

Todas as atividades são desenvolvidas com o apoio de uma equipe composta por biólogos, médico-veterinários, zootecnistas e auxiliares de campo. O projeto é executado por uma Organização Não Governamental de Mato Grosso do Sul, a Fundação Neotrópica do Brasil.

O grande diferencial do REC, além do conforto oferecido em pleno Pantanal, está na preocupação com a contemplação à fauna e flora brasileiras, sem que exista invasão aos hábitos e privacidade dos animais e plantas.

Sobre o Refúgio Ecológico Caiman:

Com uma área de aproximadamente 53 mil hectares, a Estância Caiman, hoje Refúgio Ecológico Caiman (REC), surgiu em 1985. A denominação de REC visa reunir as três atividades que dividem o mesmo espaço físico: Estância Caiman, Pousada Caiman (operação de ecoturismo pioneira no Pantanal de Mato Grosso do Sul) e Programa de Conservação da Natureza, que além de parceiros com diversos projetos científicos como o Projeto Arara-Azul, Projeto Onça-Pintada e o Projeto Papagaio-Verdadeiro, desenvolve amplo contato e intercâmbio com universidades e mantém uma Reserva Particular de Patrimônio Natural de 5, 6 mil hectares.

Todas essas atividades têm como objetivo, a troca de informação e experiências, com uma gradual interdependência entre todas elas. O resultado é o maior controle das ações econômicas e ambientais, que deverão sempre procurar atingir a sustentabilidade da presença do homem no Pantanal, em harmonia com o meio ambiente.

  
  

Publicado por em

Janete

Janete

07/09/2009 19:44:49
o que eu acho é que toda família brasileira sim, tem uma história de papagaio em suas vidas... na minha infância, via grandes shows de periquitos aos bandos e na minha casa havia um papagaio que acordava a mim e a meus irmãos, imitando a nossa mãe, "Bathuel, Jubal, Jeiel, Janete, acorda,o dia amanheceu, o café tá na mesa!" e tenho essa lembrança... e tb dessas que dizem estar em extinção, as vermelhinhas. O certo é que serão ações como essas, pequeninas, de grão em grão, a gente vai despertando prá nossa natureza belíssima e que tá encrustado no nosso sangue. Temos uma chance ainda: conscientizar a todos da necessidade de preservar a natureza. beijos.

Socorro Mello

Socorro Mello

03/09/2009 14:44:06
Relaxa é preciso que, os papagaios fiquem livre, tanto e quantos papagaios ainda estão sobre essas famílias que adotaram deste pequenino, assim fica dicifil, uma especie em defesa.Quanto os profissionais dessa atividades, continue a peservera o alto confiança que o resultado é o êxito.

Ester Rodrigues de Souza

Ester Rodrigues de Souza

02/09/2009 19:34:47
O trabalho de voces é bonito mas mas aqui em São Paulo , sofro ao ver papagaios em lojas de peças de automóveis,botecos cheios de bebados e, fumantes casas de pessoas que nao tem dinheiro nem para alimentar seus filhos quanto mais esses maravilhosos bichinhos. Por que não monitora-los tambem e arranca-los desse sofrimento?