Superpopulação de onça-parda no Brasil é um mito

Além de constar na lista das espécies da fauna brasileira ameaçadas de extinção, as onças-pardas(Felis concolor),também conhecidas como suçuarana, leão-baio ou leão-da-montanha, passaram agora a ser vítimas de um mito: o da superpopulação. Com os cons

  
  

Além de constar na lista das espécies da fauna brasileira ameaçadas de extinção, as onças-pardas(Felis concolor),também conhecidas como suçuarana, leão-baio ou leão-da-montanha, passaram agora a ser vítimas de um mito: o da superpopulação.

Com os constantes aparecimentos de onças-pardas em várias regiões urbanas do Brasil, criou-se a falsa idéia de que há no país uma superpopulação desse felino. O engano chega a ser reproduzido até mesmo em meios acadêmicos, conforme alerta do veterinário Ronaldo Morato, do Cenap - Centro Nacional de Pesquisa para Conservação de Predadores, do Ibama - Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis.

Morato explica que a perda de habitats naturais leva as suçuaranas a procurarem refúgio em regiões próximas ás áreas urbanas. Daí para o conflito com os seres humanos é um pulo. Só no primeiro semestre deste ano, oito onças-pardas foram capturadas próximo ou mesmo no quintal de residências em cidades como Brasília (DF), Ribeirão Preto (SP) e municípios da Grande São Paulo.

A suçuarana não está entre os animais brasileiros mais vulneráveis à extinção, apesar de duas subespécies que ocorrem nas regiões Sul, Sudeste e Nordeste apresentarem populações em declínio, conforme a mais nova lista vermelha do Ibama.

Todavia, faltam dados populacionais que atestem que a espécie, de modo geral, tenha garantia de sobrevivência futura. Andarilhos Do que se conhece sobre o comportamento das onças-pardas, sabe-se que assim os filhotes atingem um ano e meio de idade, eles são “expulsos” pela mãe para que conquistem seu próprio território de sobrevivência.

Ao seguirem sua rota rumo à independência, as jovens onças precisam de extensas áreas para seu deslocamento e a caça de alimentos. Cada indivíduo precisa de cerca de 30 a 50 quilômetros quadrados, o equivalente a quase cinco mil campos de futebol.

“O avanço das áreas urbanas e da fronteira agrícola sobre os remanescentes de espaços selvagens, principalmente nas regiões Sudeste e Centro-Oeste do Brasil, força um contato entre as onças e os humanos, quase sempre em desvantagem para os felinos”, avalia o veterinário do Cenap.

O centro é a referência brasileira em casos de conflito entre os carnívoros e as populações humanas urbanas e rurais. Quando acionados, os técnicos do Cenap podem agir e ajudar as pessoas a lidarem com a situação de emergência. Não há registros de casos de ataques de onças a humanos nas ocorrências registradas pelo Cenap.

Já para as onças, o final nem sempre é favorável. Elas costumam ser recebidas a balas nas fazendas. As capturas feitas por pessoal inexperiente pode comprometer a sobrevivência de animais imprescindíveis para o equilíbrio ecológico da natureza e ainda colocar em risco a segurança do pessoal envolvido.

Fonte: Ibama


Participe da lista de debates ANIMALIVRE, o ponto de encontro das pessoas idealistas que realmente querem defender os animais.

Para inscrever:envie um email em branco para

animalivre-subscribe@yahoogrupos.com.br

Depois aguarde o retorno do Yahoo e devolva a mensagem , acionando a ferramenta RESPONDER.


  
  

Publicado por em

Mayla

Mayla

06/07/2012 13:17:08
Gostei muito porque nao fala só sobre uma coisa fala de várias, obrigada as pessoas q criaram!!!abraços