Dicas para pedalar na praia

Muita gente aproveita as férias de verão para viajar, e um dos destinos preferidos é obviamente nosso litoral. Para quem vai conciliar praia e pedal, aqui vão algumas considerações. Em relação ao ‘motor’ ou seja, o ciclista, é saudável evitar o super

  
  

Muita gente aproveita as férias de verão para viajar, e um dos destinos preferidos é obviamente nosso litoral. Para quem vai conciliar praia e pedal, aqui vão algumas considerações.

Em relação ao ‘motor’ ou seja, o ciclista, é saudável evitar o super aquecimento. Hidratar-se bem é imprescindível para manter a saúde, o rendimento e diminuir o cansaço. Para isso, temos que tomar bastante água o dia inteiro, e não só no final da pedalada, como muita gente costuma fazer. Aliás, o que você deve deixar só para o final do dia, aí sim, é o refrigerante e a cervejinha, porque estes atrapalham bastante nossa hidratação.

Se você não pretende gastar uma fortuna com água mineral, terá que carregar sua água. Devido ao volume que ocupam os cantis térmicos, temos que encarar uma água deliciosamente morna a maior parte do tempo. Uma dica é levar pelo menos um cantil térmico e, depois de tomar sua água quente como chá, dar alguns goles da água fresca no final. Não chega a resolver, mas dá uma boa enganada.

Também é importante proteger-se do sol. Leve roupas leves e claras. E para quem tem a pele sensível, vale a pena usar uma camiseta tipo Hering branca de manga longa para pedalar, funciona melhor do que filtro solar. Mas o ideal é esconder-se nas horas mais quentes do dia, de preferência tomando água de coco sob a sombra do coqueiro. Mas caso não seja uma praia com coqueiros, dá pra improvisar uma pequena sombra armando somente o sobreteto da barraca. Com a ajuda da brisa do mar dá até pra tirar uma soneca.

Ainda durante o planejamento da viagem, estude bem a direção do vento para pegá-lo a favor e leve uma cópia da tábua de marés da região para onde você vai. A tábua indica todos os horários de pico das marés alta e baixa, dia a dia. Não deixe para pegar informações somente com os pescadores locais, muitas vezes as informações não são precisas.

Quanto à bicicleta, bem, ela vai sofrer um pouco, mas alguns cuidados podem minimizar os danos. A maior preocupação é em relação à corrente. Não se deve colocar graxa (nunca) nem um óleo muito viscoso, porque apesar de dar a impressão de estar bem lubrificada, na verdade a corrente vai sendo desgastada pela areia aderida ao óleo. Vale então colocar algo tipo WD40, que é bem fino e volátil, várias vezes por dia. Como regra geral, bicicleta detesta água, mas neste caso, sempre que puder, jogar uma água doce na corrente antes. Mas tome cuidado para não ir água no movimento central nem nos cubos, o que retira a lubrificação interna.

DICAS FINAIS:

- Em trechos de areia fofa, murche um pouco os pneus, fica mais fácil (ou menos difícil) de pedalar.

- Não se esqueça dos óculos de sol, a areia reflete muita luz, o que incomoda bastante.

- Se você tem um cobertor térmico no seu kit de primeiros socorros, pode utiliza-lo também para cobrir a bicicleta, durante as paradas para se esconder do sol.

- Leia os relatos de quem já pedalou bastante pela areia, no site do Clube, na seção de viagens: Do Espírito Santo ao Maranhão, Lagamar e outros.

  
  

Publicado por em