Utilize corretamente as marchas de sua bicicleta

O atual sistema de transmissão da força de tração na bicicleta sempre foi um dos maiores motivos de preocupação dos cicloturistas durante as viagens. Costumamos pensar na corrente de transmissão como uma simples peça da bicicleta, e muitas vezes nos esque

  
  

O atual sistema de transmissão da força de tração na bicicleta sempre foi um dos maiores motivos de preocupação dos cicloturistas durante as viagens. Costumamos pensar na corrente de transmissão como uma simples peça da bicicleta, e muitas vezes nos esquecemos que ela é composta, na verdade, por centenas de pequenas pecinhas fixas umas nas outras apenas por pressão.

Mudança de marcha: elos passando de uma roda dentada para outra

Mudança de marcha: elos passando de uma roda dentada para outra
Foto: Rodrigo Telles

Por isso, o uso das marchas e da corrente deve ser muito cuidadoso. Além da sujeira e da falta de lubrificação, um dos maiores erros que podemos cometer é o que se chama de corrente cruzada. As correntes de transmissão são feitas para funcionarem ao longo de uma linha reta. Isto é, quando aplicamos uma tração, todos os elos devem estar o mais alinhado possível. Quando ocorre um desalinhamento muito grande destes elos, aparecem forças laterais que diminuem bastante a vida útil da corrente e podem até mesmo causar uma ruptura.

Exemplo de uma combinação errada

Exemplo de uma combinação errada
Foto: Rodrigo Telles

A regra geral é a seguinte. A coroa do meio (na frente) pode ser combinada com qualquer uma das catracas (atrás), evitando-se as das extremidades. Com a coroa maior é bom utilizar somente as quatro catracas menores, que ficam mais ou menos alinhadas com ela. Da mesma maneira, com a coroa menor, utiliza-se apenas as quatro catracas maiores. Desta forma evita-se a situação que está ilustrada na figura. Esta regra pode ser usada tanto para catracas de 7 como de 9 velocidades.

Detalhe do ângulo formado pelos elos

Detalhe do ângulo formado pelos elos
Foto: Rodrigo Telles

Note que fazendo isso você não está perdendo nenhuma relação de marchas de que a sua bicicleta dispõe, pois as combinações que estamos chamando de ‘proibidas’ produzem relações equivalentes às conseguidas com o uso de outra combinação.

Um outro problema parecido com este e que também merece bastante atenção, acontece no momento das trocas de marcha. Quando trocamos de marcha, a corrente que está girando numa das rodas dentadas, tem que se inclinar fortemente para engrenar na roda dentada ao lado, seja através do câmbio dianteiro ou traseiro. Não há nenhum problema, caso esta transição ocorra suavemente.

Porém, se aplicarmos uma tração neste momento, estaremos aplicando as tais forças laterais nos elos que estão envolvidos na transição. Por isso, sempre que mudamos de marcha, devemos girar os pedais livremente sem tração. De maneira prática, podemos dizer que temos que aliviar a força dos pedais para que a mudança de marcha seja macia.

Para isto o ciclista tem sempre que estar atento e prever com alguns segundos de antecedência a necessidade da troca. Por exemplo, se você entrou de repente numa subida, vai ter que reduzir a marcha. Não espere o último momento, pois aí você não vai mais conseguir aliviar a força para fazer a troca. Se você errou o momento da troca, não excite em parar, saltar da bicicleta e trocar a marcha com ela parada, ou mesmo empurrá-la até o topo da subida.

Estas dicas se tornam especialmente importantes se você estiver viajando com a bicicleta carregada. O peso, principalmente nas subidas vai acentuar esses problemas.

O sistema de transmissão de forças ainda tem muito que evoluir (quem sabe para o sistema de eixo como já se usa em algumas bicicletas). Mas enquanto isso, vamos cuidando bem das nossas delicadas correntes, porque elas ainda tem muito o que girar para nos levar a todos os lugares fantásticos que planejamos conhecer.

  
  

Publicado por em

Cleide

Cleide

25/01/2013 01:10:42
Valeu pelas dicas, muito esclarecedoras!

Walter

Walter

05/11/2012 21:45:33
Muito legal,sempre goatei de pedalar, mas só agora fui buscar a técnica.
Valeu!!!!

David bueno moreira 12 anos

David bueno moreira 12 anos

03/09/2012 23:25:45
muito boas as dicas,ganhei uma bike media de marcha e isso vai ajudar muito a lidar bem com a minha bicicleta valeu!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! espero mais dicas.tchau

RAIMUNDO NONATO NASCIMENTO FILHO

RAIMUNDO NONATO NASCIMENTO FILHO

04/12/2011 15:40:52
MUITO BOM O TEXTO. bOA DICA PARA OS CICLISTAS, ESPERO QUE OUTRAS DICAS IMPORTANTES PASSE PARA TODOS NÓS, GOSTARIA QUE AS DICAS FOSSE ATRAVES DE VIDEOS.

JHON LENNON

JHON LENNON

25/11/2011 16:27:06
MUITO BEM EXPLICADO, COMPREI UM BIKE DE MARCHA RECENTEMENTE E NÃO SABIA DIREITO COMO COMO FAZER A TROCA E COM QUAL CATRACA FAZER A COMBINAÇÃO. OBRIGADO PELA EXPLICAÇÃO, SEMPRE QUE TIVER TEMPO PASSAREI POR ESSE SITE PARA LER MAIS NOVIDADES. THAU

Ana silva

Ana silva

08/06/2011 12:19:04
muito bom o texto. Deu para compreender melhor o funcionamento das marchas. valeu!

PC BIKE

PC BIKE

27/05/2011 19:54:19
Muito bom ! Espero por mais dicas importantes principalmente para os iniciantes...

Luiz

Luiz

28/03/2011 14:10:43
otimo vlw ajud mt

ENIO

ENIO

01/11/2010 22:02:05
beleza;excelente dica,mui grato!

Lucas

Lucas

21/10/2009 00:54:27
Bem esclarecedor, me ajudou bastante.

Carla

Carla

12/04/2009 17:34:04
oi eu adorei muito obrigado

Kennedy

Kennedy

13/02/2009 09:05:23
Muito Bom o texto!!! Acabei de comprar minha bicicleta e ela está com um range range bem ruidoso. Lendo um pouco talvez eu esteja forçando-a demais com a corrente cruzada! Valeu a dica!!!

Thiago

Thiago

30/11/2008 22:21:31
Muito bem explicado, e certamente muito coerente.
Quem pedala sabe disso, ou deveria saber

Valmir

Valmir

24/11/2008 18:59:53
Achei a dica exelente, me ajudou muito