Verão - pedalada na Serra da Capivara (PI)

Poucas coisas combinam tão pouco com viagem de bicicleta quanto a chuva. Talvez só a neve congelada ou uma subida interminável de paralelepípedos. Fica difícil escolher um percurso que escape das águas do verão. O Pantanal nesta época está transbordando,

  
  

Poucas coisas combinam tão pouco com viagem de bicicleta quanto a chuva. Talvez só a neve congelada ou uma subida interminável de paralelepípedos. Fica difícil escolher um percurso que escape das águas do verão. O Pantanal nesta época está transbordando, chove também nos Parques Nacionais da região serrana do Sul do País. Outros bons destinos, como Minas Gerais e litoral de São Paulo e Rio de Janeiro também estão sob as águas. Mas felizmente há opções menos molhadas. Uma delas é a belíssima Serra da Capivara, no Piauí. Está certo que é estação chuvosa por lá também, mas não chega aos níveis das outras regiões (são aproximadamente 300mm entre dezembro e março). Além disso, a chuva propicia uma benção que é ver a caatinga verdejando e florescendo toda de uma vez.

Partindo de São Raimundo Nonato, já de bicicleta, chega-se a um vilarejo com um bom local para acampar. Este vilarejo, Sítio do Mocó, fica na entrada do Parque Nacional da Serra da Capivara. Assim, é possível fazer um ponto de apoio aqui, a partir do qual se pode conhecer os principais atrativos com a bicicleta vazia.

Há diversas estradinhas de terra dentro e ao redor do Parque. A partir delas chega-se às trilhas (que são percorridas a pé, nunca de bicicleta) que levam à principal atração do local: os Sítios Arqueológicos. Pinturas rupestres escondidas em tocas nas montanhas e cânions transportam nossa imaginação ao dia a dia dos primeiros grupos humanos que ali habitaram. As pinturas são impressionantemente realistas e mostram cenas de atividades em grupo como rituais religiosos, caça (de animais gigantes já extintos) e sexo (!).

Além do interesse arqueológico, a Serra da Capivara oferece paisagens magníficas, que merecem ser desfrutadas calmamente de bicicleta. Mas leve tudo que for precisar em termos de equipamentos e acessórios. Pouca coisa pode ser encontrada por lá.

É necessário ser acompanhado por um guia local para visitar o Parque Nacional. Alguns deles já tem acompanhado (também de bicicleta) os cicloturistas. Procure no posto dos guias da cidade de São Raimundo Nonato.

Dica 1. Não deixe de visitar (de bicicleta, é claro) o Museu do Homem Americano, próximo a São Raimundo Nonato; e a fábrica de cerâmica próximo ao Sítio do Mocó.

Dica 2. Um roteiro detalhado deste percurso está disponível no site www.clubedecicloturismo.com.br, no item Roteiros.

  
  

Publicado por em