Um dia em Bocas del Toro

Um passeio de um dia e meio no famoso arquipélago panamenho

  
  
Ilha dos Pássaros em Bocas del Toro. <br />Este foi um lugar difícil de fotografar, o mar estava agitado, mas o tempo estava abrindo, o barco não parava nunca onde eu queria e eu estava tendo dificuldades.<br />A bem da verdade os nossos guias não demonstraram boa vontade com nosso grupo. O barqueiro fazia tudo ao contrário do que eu pedia e tive de me exercitar no barco para conseguir um angulo para fotografar e sempre que eu estava conseguindo ele virava o barco ou alguém entrava na frente. Para esta foto eu tive de ser criativo, ela ficou um pouco torta e eu acertei no Photoshop, depois eu acertei as diferenças de luminosidade usando os layers e a função screen com a borracha. A seguir eu esquentei os tons no color balance e a foto ficou apresentável, mas nada inventei que não estivesse lá. Mesmo assim algumas pessoas me perguntaram quando a viram publicada
A Ponte das Americas e o canal do Panamá

Muita gente me pediu para falar de Bocas del Toro no Panamá depois que eu publiquei o voo que eu fiz para lá. Então, a pedidos vou contar a minha viagem.

Um jornalista tem várias maneiras de viajar, uma delas é com um grupo de colegas a convite de algum órgão de turismo, companhia aérea ou rede de hotéis, são as viagens de familiarização e foi assim que eu fui parar no Panamá. Viajamos a convite da Copa Airlines para fazer uma reportagem para a revista Lonely Planet. Neste caso a gente teve de acompanhar um grupo nos seus roteiros e horários, o que acabou limitando muito a mobilidade e até a busca de opções.

Nosso voo foi um pouco tormentoso, como eu falei, mas o pior não foi isto, o pior é que a chuva veio junto.
Bocas del Toro é um arquipélago de ilhas simplesmente paradisíacas no norte do Panamá, já quase na fronteira com a Costa Rica.

Bocas del Toro

Em bocas você vai encontrar praias para todas as atividades. Além disto as aguas clarinhas e quentes do Caribe são muito inspiradoras, mas isto quando o sol está presente, quando ele resolve não aparecer, não tem nada mais chato do que praia com chuva. Para quem tem bastante tempo disponível, um dia perdido, tudo bem, mas para quem só tem um dia, um dia de chuva é tudo o que você tem e com chuva. Essa região com suas nove ilhas, vibram no ritmo do som e cores do mar do caribe. As paradisíacas praias de areia branquinha com águas cor azul turquesa, coqueiros e uma redinha para descansar, são uma grande atração. Fato é que Bocas del Toro é um gigantesco complexo turístico, um dos maiores do Panamá, é um lugar onde sossego e badalação caminham lado a lado harmoniosamente. Você encontrará estrutura para fazer praticamente de tudo. Descoberto por mochileiros nos anos 90, os povoados guardam um estilo de vida simples e pacato, sem a pressa dos grandes centros urbanos.

Praia em Bocas del Toro
Mar de Bocas del Toro

Depois de nos instalarmos no hotel partimos para o primeiro passeio, a chuva parecia que ia dar uma trégua, o dia estava abrindo desde que chegamos no aeroporto. No pier do hotel pegamos a lancha para a baía dos golfinhos, que tem este nome.... por causa dos golfinhos é claro. Logo o barco fica rodeado de golfinhos.

Barco de turistas e golfinho
Golfinho na baía de mesmo nome

Mas o tempo não ajudou,assim que saímos de lá desabou um temporal, seguimos direto para um bar que fica na água no meio do nada.

choveu sim, se choveu
Pescador de lagosta

Assim que o tempo deu uma trégua fomos para a Red Frog Beach, que o nome mesmo diz, é a praia da Rã vermelha. Na sua mata preservada abriga-se uma pequena rã vermelha, endêmica, que cabe na palma da mão. Ambientalistas brigam por sua preservação enquanto as crianças nativas correm para pega-las e mostra-las aos turistas em busca de um troco. Nosso grupo subiu a mata na colina em busca delas, mas os garotos as trazem para a praia para as senhoras e outras pessoas que não podem ou não querem subir a trilha. Presenciei uma discussão entre o nosso guia e um californiano que vive lá e briga com os garotos, por que segundo ele, as rãs uma vez tiradas do habitat não são devolvidas e podem morrer. O nosso guia panamenho, que seguramente dá uma grana para os meninos, pede para o gringo não se meter no país que não é dele. Esta discussão ainda vai longe.

a Rã Vermelha ou Red Frog

Na ilha de Caio Sapatilha Norte, o mergulho de snorkel revela uma vida marinha exuberante. São 58 tipos de de coral, que servem de morada e alimento para inúmeras espécies de peixes, lagostas, mexilhões, ostras e por aí vai. É a maior quantidade de corais vivos do Caribe.
A lancha desliza em direção á Ilha dos Pássaros, um rochedo enorme com uma fenda no meio, onde gaivotas e albatrozes dividem a área com tubarões, é um verdadeiro santuário.
Mais adiante fica a praia das estrelas do mar. Sob água translucida e areia branca, centenas de estrelas do mar fazem a alegria dos turistas.

Estrela do mar sob a água

Turistas fotografam as estrelas
Turista brinca com a estrela na água

O final do dia é na piscina do hotel, finalmente o tempo abre por completo. Na manhã seguinte bem cedo saio com a câmera fotografando tudo em volta do hotel, agora com sol as águas do Caribe explicam por que são famosas

Praia próxima ao hotel

A praia la cabaña próxima ao povoado de Bocas del toro, na Ilha de Colón é perfeita para tomar um bronze e adquirir a cor bronzeada característica do Caribe.
Vamos á cidade para conhecer o centro e fazer compras, o artesanato típico é famoso e bonito e o famosos chapéu Panamá são itens obrigatórios para quem vem aqui.

Artesanato
Chapéu Panamá, que na verdade é feito no Equador
O pequeno ilhéu toma seu refrigerante nos braços do pai
Artesania local
Turistas fazem uma estranha formação na praia em Bocas del Toro
Praia perto da cidade

Naquela tarde deixamos Bocas del Toro rumo à cidade do Panamá, foi uma viagem rápida e curta, com muita chuva, mas o pouco sol que apareceu fez o passeio valer a pena. Não vejo a hora de voltar com sol de verdade todos os dias.

Praia em Bocas del Toro

Por Victor Andrade, com uma pequena ajuda do texto do meu colega de viagem na Lonely Planet, Luis Patriani

  
  

Publicado por em

Maria Lenita de Rosso

Maria Lenita de Rosso

1/10/2011 23:05:45
O Victor foi muito gentil em responder. Gostaria ainda de saber se ele chegou a fazer snorckling em Bocas ou em alguma ilha próxima. Nos sites que temos entrado o lugar parece exuberante, mas não há muita referência quanto a vida marinha em abundância, como por exemplo em Los Roques (Venezuela) onde estivemos no ano passado!
Admiro seu trabalho, Victor, pois enaltece e valoriza a natureza que amo muito!!
Abraços!
Lenita - Curitiba

Victor Andrade

Victor Andrade

Oi Lenita Eu mesmo recebo e respondo estes comentários. Quanto ao snorkeling, sim fizemos, mas eu não tenho equipamento para fotografar debaixo dágua e não fiz fotos subaquáticas. Como o dia estava nublado não fiz de fora também. Embora eu não conheça, acho que Los Roques deve ter mais vida marinha pelo que ouço e li, não vi mesmo tantos peixes por Bocas del Toro. Obrigado pelos elogios e por compartilhar seu amor com a natureza. Abraços Victor
Maria Lenita de Rosso

Maria Lenita de Rosso

25/9/2011 22:20:45
Muito interessante o relato.Para quem já estava com intenções de conhecer Bocas del Toro, agora vai ser irresistível. Só gostaria que o autor tivesse comentado como foi do Panamá até Bocas. Via aérea? Comentou que foi rápido até o panamá, então deve ter sido. É fácil de comprar a passagem aqui do Brasil ou compra lá mesmo???
Abraços. Lenita de Curitiba

Victor Andrade

Victor Andrade

Oi Lenita, se você tivesse lido a coluna anterior "Vôo maluco para Bocas del Toro" [[http://ecoviagem.uol.com.br/fique-por-dentro/colunistas/fotografia-em-viagens/victor-andrade/voo-maluco-para-bocas-del-toro-14351.asp|]] teria visto que eu fui de avião e num avião muito pequeno. Foi esta coluna que motivou a continuação que você leu, muitas pessoas queriam saber do lugar também. Eu não sei te responder com precisão quanto às passagens por que eu viajei à convite para fazer uma reportagem para uma revista. Mas nesta reportagem a gente indica duas agências www.soultraveler.com.br e www.multidestinos.com.br com certeza eles vão te informar, mas te adianto que é possível comprar o bilhete para Bocas del Toro no balcão antes do embarque na cidade do Panamá, no entanto é sempre bom viajar com tudo reservado daqui. Obrigado pelos comentários e por ler a coluna. Abraços Victor
Tom

Tom

3/9/2011 16:17:15
Agora o relato ficou completo. É um lugar simples e bonito, dentro do Caribe. Os vôos são sempre com aquela potente máquina?

Victor Andrade

Victor Andrade

Oi Tom, eu acredito que os vôos sejam com este tipo de avião na Air Panamá, mas não chequei se existem outros aparelhos nas outras companhias. Deve haver. Este avião o Twin Otter De Havilland, não é tão ruim assim, antes de escrever eu fui ver na internet pesquisar sobre ele e é só elogios. Ele voa no Alaska e Canada e outros lugares difíceis como Noruega, Finlandia e Dinamarca. É um bravo avião, o nosso aparelho em questão é que estava em manutenção, todo soldado e caindo aos pedaços, mas voou direitinho, senão eu não estaria aqui agora contando esta história. Abraços Victor
Eduardo Nascimbeni

Eduardo Nascimbeni

23/8/2011 02:42:15
Victor, que lugar mais doido! Fiquei com vontade de ir lá com minha Rosinha.
E a foto tratada ficou bala, parabéns!
Dado.

Victor Andrade

Victor Andrade

E aí Dado, gostou deste relato também? Que bom. Viagem tem destas coisas, nem tudo sai como planejado. As vezes tem chuva, mau humor de guias, atrasos e tudo mais, Obrigado pelo elogio, realmente a foto ficou bacana. abs Victor
Celi Vilar

Celi Vilar

22/8/2011 14:51:15
eu gostei da matéria e da foto da ilha dos pássaros. Fiquei com vontade de andar na ilha, mesmo parecendo ser algo bem complicado.. rsrs beijos

Victor Andrade

Victor Andrade

Oi Celi Pois é, neste rochedo não dá para descer sem correr risco de morrer, as ondas te jogam nos corais das pedras, principalmente do outro lado que o mar é ainda mais agitado. Por isto é que é a ilha dos pássaros, só voando se desce lá, mas de helicóptero nem pensar.. Rsss Beijos Victor
Flávio Varricchio

Flávio Varricchio

22/8/2011 14:44:41
só sendo criativo e paciente para lidar com as dificuldades.
fotografar para editorial as vezes deve ser chato,já q nem sempre as coisas acontecem como queremos.
é fotografar na hora q for e como der,não tem essa de esperar uma luz melhor.
o bom é q viaja bastante.

Victor Andrade

Victor Andrade

Pois é Flavio, nem sempre podemos controlar tudo numa reportagem destas, principalmente quando é um FAM Tour onde os guias estava literalmente impacientes com a gente e tinham de cumprir o programa com sol ou chuva. Para piorar fizeram tudo correndo e pularam algumas coisas, chegamos no hotel bem antes do previsto. Foi a primeira vez que um guia não teve empenho e boa vontade comigo. Geralmente o que eu peço eles atendem com muito boa vontade. Acredito que eles deviam estar fazendo aquilo obrigados pelo governo ou algum outro orgão de turismos e sem estar ganhando, ou ganhando pouco. Azar deles, por que quando o grupo quis se reunir para fazer uma "vaquinha" para eles não conseguiram por que a maioria estava insatisfeita com a má vontade. Fotografar assim faz parte, mas não é o melhor mesmo. Abraços Victor
Claudio Machado

Claudio Machado

22/8/2011 12:49:43
Muito bom seu relato, mesmo sendo uma viagem de familiarização como voce disse, dá para ter uma tremenda vontade de conhecer. Imagino que nesses lugares mesmo com chuva só que mais tempo são demais para fotografar.

Victor Andrade

Victor Andrade

Caro Claudio Obrigado pelo seu comentário, foi um incentivo para saber que estou num caminho certo para sensibilizar e informar as pessaos. Respeito muito o seu conhecimento. Continue me visitando. Um abraço Victor