A Aproximação de Marte

Os astrônomos amadores e os curiosos das coisas da natureza estão tendo, nestes dias, uma oportunidade única para a contemplação de um raro fenômeno celeste: a aproximação máxima entre os planetas Marte e a nossa Terra. Raro porque é preciso haver uma coi

  
  

Os astrônomos amadores e os curiosos das coisas da natureza estão tendo, nestes dias, uma oportunidade única para a contemplação de um raro fenômeno celeste: a aproximação máxima entre os planetas Marte e a nossa Terra. Raro porque é preciso haver uma coincidência entre a posição de máxima aproximação de Marte em relação ao Sol, com o seu alinhamento com a Terra, justamente num ponto de grande afastamento desta em relação ao Sol. Difícil de explicar em palavras, mas facílimo de perceber em um desenho das órbitas dos dois planetas...

O fato é que no dia 27 o planeta vermelho estará passando a uma distância de quase 56 milhões de quilômetros, quando, no mesmo dia do ano passado, ele estava a quase 400 milhões de quilômetros de nós! Segundo algumas notícias de jornais, isso teria acontecido, da última vez, há 60.000 anos, tendo sido apreciado por alguns homens de Neandertal... Porém, os cálculos mais confiáveis, dos especialistas, nos revelam ocorrência semelhante em 1640, devendo a próxima ser vista em 2729.

Isso me faz lembrar, na minha infância, de uma aproximação (não tão grande quanto esta, naturalmente) ocorrida entre os dois planetas, lá pelo ano de 1938, ou 39... As notícias transmitidas pelos jornais eram, então, muito lacônicas, baseadas em informações precárias e causaram pânico em uma certa porcentagem da população. Temia-se o fim do mundo! Recordo-me de um coleguinha de escola contando que seu pai e um tio estavam cavando, no quintal, um grande buraco para abrigar a família no momento em que Marte `encostasse` na nossa Terra...

Hoje, a evolução e a velocidade dos sistemas de informação já não permitem alarmes infundados, desse teor. Escoimados de certos objetivos menos nobres - que infelizmente prevalecem - os jornais, rádio e televisão teriam condições de proporcionar um nível cultural popular superior a tudo o que se pode imaginar!

  
  

Publicado por em