Calor na Europa

Depois de um ano de inundações por toda parte, a Europa vive, agora, um verão seco e quente de que há muito não tinha notícia. As conseqüências são catastróficas, principalmente para uma região de clima temperado: incêndios florestais monstruosos, secamen

  
  

Depois de um ano de inundações por toda parte, a Europa vive, agora, um verão seco e quente de que há muito não tinha notícia. As conseqüências são catastróficas, principalmente para uma região de clima temperado: incêndios florestais monstruosos, secamento dos rios e dos solos, animais de criação morrendo aos milhares, árvores derrubando suas folhas como se estivessem no outono, neves consideradas `eternas`, derretendo-se no alto das montanhas e, finalmente, o aumento trágico da mortalidade de pessoas idosas, nos hospitais...

E depois, as conseqüências indiretas, como: aumento extraordinário dos níveis de ozônio nas cidades e no campo; super-aquecimento das usinas nucleares, o que exige, como solução de emergência, o lançamento de jatos d´água com simples mangueiras e a autorização do despejo de águas super-aquecidas nos rios, causando mortandades de peixes nunca vistas. Segundo um comentarista, trata-se de uma crise de civilização, isto é, da necessidade de uma mudança dos padrões de hábitos e costumes dos povos, para adaptação a uma nova situação climática e ambiental que se inicia...

A causa detectada foi o deslocamento de uma massa de ar quente do Sahara para a Europa, associada a uma queda anômala da temperatura das águas do Atlântico, do outro lado deste continente. Os especialistas afirmam, com toda a segurança, que não se trata de variações naturais do clima, mas sim de efeitos indiretos das atividades humanas. Mas são reticentes quanto a afirmar que se trata, já, de um prenúncio do efeito estufa.

Não se pode tirar conclusões a partir de um fenômeno excepcional de aquecimento, assim como não se pode dizer que o frio também excepcional do inverno passado, na mesma Europa, signifique o início de um período de resfriamento da Terra. Porém - afirmam eles - há coerência entre os fenômenos. Esses picos de calor constituem, sem dúvida, um prenúncio das catástrofes que ocorrerão, no futuro, com o aquecimento climático devido ao acúmulo de gás carbônico.

A conclusão geral é de que as providências a respeito do efeito estufa estão tardando muito! O trágico é que, mesmo que se consiga estabilizar as emissões, o gás carbônico acumulado levará centenas de anos para desaparecer da atmosfera, pois ainda há nela, hoje, resíduos de gás carbônico emitido antes da era industrial. Nos últimos cem anos, a temperatura média da Terra aumentou pouco mais de meio grau. Nos próximos cem anos ela poderá elevar-se de 1,8 a 6 graus Celsius...

Assim dizem os entendidos... mas há gente que não acredita!

  
  

Publicado por em

Daya

Daya

30/09/2008 14:09:45
eu queria saber quais são as conclusões falando sobre o Efeito Estufa!!!Por favor passe a informação.