Inspeção de Veículos

Uma das mais brilhantes realizações da tecnologia nacional, no terreno do controle da poluição, foi a elaboração, por uma equipe da CETESB, nos anos 80, do PROCONVE – Programa de Controle de Qualidade do Ar por Veículos Automotores. Reconhecida a sua

  
  

Uma das mais brilhantes realizações da tecnologia nacional, no terreno do controle da poluição, foi a elaboração, por uma equipe da CETESB, nos anos 80, do PROCONVE – Programa de Controle de Qualidade do Ar por Veículos Automotores.

Reconhecida a sua importância pelo governo federal, ele foi oficializado em 1986 para todo o país. Em conseqüência, as emissões de poluentes foram reduzidas em mais de 90% até o ano 2000 e as concentrações de monóxido de carbono – o mais severo dos gases tóxicos emitidos por motores de combustão – encontram-se, atualmente, abaixo dos limites impostos pelos padrões de qualidade do ar, sendo, até há pouco, considerado um problema “resolvido”.

Contudo, esses excelentes resultados estão em risco de ser comprometidos... É que a ação do PROCONVE, até agora, foi exercida somente sobre os veículos em fabricação, nas montadoras, através da exigência de instalação de equipamentos tais como injeção eletrônica, catalisadores etc.

Nada foi feito, até o momento, a respeito de veículos antigos, já em circulação, ou aos veículos que embora novos, são “melhorados” pelos seus proprietários – ou pelo “competente” mecânico da esquina – através da retirada do catalisador ou modificação da regulagem de fábrica. A alegação mais freqüente - e equivocada – é a de que tais “inutilidades” reduzem a potência e o desempenho do veículo...

Como conseqüência, a CETESB já tem notado uma tendência ao aumento, novamente, das concentrações de poluentes no ar de São Paulo. Levantamentos realizados também no Rio de Janeiro e Brasília, mostram que apenas 10% dos veículos em piores condições de manutenção são responsáveis por mais de metade do problema de poluição.

Os especialistas estimam que, se o programa de inspeções fosse implantado hoje, a reprovação de cerca de 15% da frota reduziria em mais 25% as emissões totais. Naturalmente, se esses veículos reprovados passassem por uma seção de regulagem corretiva eficaz.

E, por falar nisso: você já mandou examinar o catalisador de seu carro?

  
  

Publicado por em