O ano das Medusas

Sempre constituiu um mistério o aparecimento súbito de medusas no Mar Mediterrâneo, povoando-o de massas gelatinosas (as nossas conhecidas `águas-vivas`). Nessas ocasiões, sempre provocam o receio dos banhistas pelos acidentes que causam - às vezes graves

  
  

Sempre constituiu um mistério o aparecimento súbito de medusas no Mar Mediterrâneo, povoando-o de massas gelatinosas (as nossas conhecidas `águas-vivas`). Nessas ocasiões, sempre provocam o receio dos banhistas pelos acidentes que causam - às vezes graves - devidos às substâncias urticantes que injetam na pele de quem com elas toma contato. Dado o caráter imprevisto de tais invasões, o fenômeno sempre assumiu papel imponderável relacionado com a freqüência aos balneários. Até que...

Sim, até que uma banhista ilustre - nada menos que a jovem esposa do primeiro ministro da Grécia - fosse acometida de um violento choque anafilático após ter sido atingida pelas células venenosas de um desses graciosos `cogumelos transparentes`, denominado Pelagia. Esse acidente, ocorrido há exatos 20 anos, ocasionou um apelo imediato à universidade de Atenas para que esclarecesse o fenômeno e a imediata mobilização de toda uma equipe de especialistas sob a égide das Nações Unidas foi posta em prática. Verbas foram liberadas aos institutos de pesquisas da costa mediterrânea, o que proporcionou oportunidade ímpar do aprofundamento dos estudos sobre as espécies de medusas e seus ciclos vitais.

Jacqueline Goy, pesquisadora do Museu nacional de História Natural da França e, talvez, a principal especialista nesse grupo de animais primitivos em todo o mundo, pesquisando todos os arquivos e registros que acompanham a conservação de cada frasco de formol do famoso Museu, contendo exemplares coletados ao longo de várias décadas, realizou, então, uma feliz e inesperada descoberta: a de que o aparecimento daqueles espécimes se repete, no Mediterrâneo, com uma freqüência aproximada de 12 anos!

Assim, naquele ano de 1989, foi previsto um `surto` para o ano de 1992, que bateu na mosca! de acordo com o modelo matemático então desenvolvido, um novo surto foi previsto para este ano de 2003... o qual já pode ser observado em todo o Mediterrâneo, pondo em pânico os seus freqüentadores.

Será que as nossas medusas seguem ciclos semelhantes?

Possivelmente teremos de esperar que ocorra um acidente com a esposa de um dos nossos ministros, para sabe-lo...

  
  

Publicado por em