Família Schurmann

Vilfredo Shürmann conversa com EcoViagem através do AOLVip.

  
  

AOLVip: Boa noite a todos. Estamos online com Vilfredo Schürmann convidado pelo EcoViagem para bater um papo com vocês. Seja bem vindo ao AOL Vip.

Schurmann: Boa noite a todos. Estou muito contente de estar aqui na Adventure Sports Fair. Muita adrenalina, o pessoal muito contente, curtindo as aventuras e os projetos...

AOLVip: Como é fazer uma aventura com uma criança?
Schurmann: Criança não atrapalha em nada na aventura. Tivemos experiência com nossa filha Kate de 5 anos, que participou de todas as aventuras conosco. Eu tenho uma mochila especial para levá-la nas costas, e subimos montanhas, participava de corredeiras com caiaque, tinham dias de escola...estudava por correspondência, e fez muitos amigos em várias partes do mundo.

AOLVip: O que significa EcoViagem?
Schurmann: O EcoViagem é um site de Ecoturismo e Aventura - parceiro da America Online e foi este site que nos convidou para este bate-papo. É só colocar a palavra chave AVENTURAS que vocês entram na área do EcoViagem.

AOLVip: Como é a experiência de passar tanto tempo longe da terra firme?
Schurmann: Sempre estive com a minha família junto e parávamos em muitos portos de muitos países, convivendo com a cultura, com os costumes...

AOLVip: Existe algum momento muito marcante da aventura? A aventura deixou a família mais unida? E as brigas normais?
Schurmann: Tivemos momentos difíceis, como tempestades, e, no Mar da China, tivemos a experiência de ataques de piratas... mas foi ótima. A convivência é muito importante... As pessoas têm que estar com espírito de aventura. Não tem lugar dentro do barco para ficarmos de cara feia ou emburrados. O diálogo é muito importante, e esse é um dos maiores desafios: conviver em um pequeno espaço.

AOLVip: Quantas expedições vocês já fizeram?
Schurmann: Fizemos duas voltas ao mundo. A primeira viagem foi de 10 anos: de 84 a 94. E a segunda viagem foi de novembro de 97 até este ano, em maio. Fizemos 60.000 km nestes 2 anos e meio. Visitamos 19 países e 9 territórios. Tivemos nesta viagem uma experiência inédita: transmitimos de dentro do barco para 44 países através de internet todas as nossas emoções e durante este tempo, tivemos 35 milhões de hits em nosso site, sendo 54% do Brasil. A propósito, nosso site é: www.schurmann.com.br

AOLVip: Vocês contaram com muitos patrocínios? Conseguí-los foi a parte mais difícil do planejamento?
Schurmann: Na primeira viagem não tivemos patrocínios. Somente na chegada. Mas nesta última viagem tivemos patrocínio da Embratel, da Soya e Viajo.com. É difícil conseguir patrocínio, mas o importante é fazer um projeto bem definido, relacionando todos os investimentos e despesas, e dar um retorno para o patrocinador. Nós apresentamos para mais de 30 empresas os nossos projetos e foi muito importante para viabilizar e realizar o nosso sonho.

AOLVip: Qual foi a parte mais perigosa do desafio de refazer o caminho de Magalhães?
Schurmann: A parte mais perigosa foi na entrada do Estreito de Magalhães com ondas de 6 metros e ventos de 110 km/h.

AOLVip: Como tudo começou e de quem foi a idéia?
Schurmann: Foi em 1974. Nós tínhamos 23 anos, e realizamos uma viagem ao Caribe. Nunca tínhamos entrado num barco a vela. Quando vimos passar um barco de turistas, eu falei pra Heloisa que tinha vontade de andar num barco a vela. No outro dia saímos e, quando o barco levantou as velas e parou o motor veio o silêncio absoluto... Só escutávamos o barulho das ondas batendo no casco. Um olhou para o outro e foi amor à primeira vista. No último dia, eu olhei todos os barcos e disse no ouvido da Heloisa: Um dia vamos voltar aqui com nosso próprio barco. Foram 10 anos atrás do nosso sonho. Todos nós temos um sonho, mas temos que marcar uma data para realizá-lo. E quando nosso filho David, hoje cinegrafista, estava engatinhando, eu olhei pra Heloisa e disse: -Quando David tiver 10 anos nós iremos sair pra realizar o nosso sonho. David fez 10 anos no dia 13, sexta-feira. E nenhum marinheiro sai na sexta... ainda mais se for dia 13. Saímos então no dia 14 de abril de 1984.

AOLVip: Gostaria de saber sobre as diferentes recepções dos países visitados e se teve alguma que foi marcante para vocês?
Schurmann: Sempre fomos muito bem recebidos. Nós estudamos muito os dialetos para dizer um ¨Bom dia¨ ou uma ¨Boa Tarde¨. E sempre convidávamos as crianças e o chefe das pequenas ilhas que visitávamos para conhecer nossa casa - nosso barco. E a reciprocidade sempre foi muito boa. Longe, alguns países como Palao, Yap e outros da Micronésia, conheciam um pouco do nosso país, principalmente o futebol e o nosso samba. E sempre fomos bem recebidos.

AOLVip: Que tipo de alimentação e preparo físico foi necessário para dar conta da viagem?
Schurmann: Tínhamos previsão de 6 meses de comida: macarrão, arroz, feijão, etc...e mais 6 meses de comidas liofolizadas - usadas pelos alpinistas em caso de emergência. Pescávamos todos os dias. O preparo físico vinha através de mergulhos diários, e trekkings. Cada tripulante, como exercício, tinha que subir no barco pela corrente da âncora. Este exercício foi muito importante porque numa queda de um tripulante no mar, uma mão pode salvar a pessoa. Algumas vezes, eu me jogava no mar e a tripulação tinha que me resgatar. Fazíamos isso como exercício. O maior índice de acidentes com tripulação no mar é quando um homem vai fazer pipi fora do barco. Ele fica se segurando com uma das mãos no cabo de aço, e uma onda maior pode desequilibrá-lo, jogando-o ao mar.

AOLVip: Gostaria de saber qual é a próxima aventura?
Schurmann: Ainda é segredo...Mas vamos sair no final do ano que vem em uma experiência inédita, que nunca foi feita pelo homem. Nós temos convicção de que é possível realizar e, quando o projeto estiver pronto, dentro de 2 a 3 meses, nós iremos anunciar.

AOLVip: Como é organizar uma expedição? Quanto tempo vocês levaram a partir da idéia de fazer a viagem até o embarque?
Schurmann: Para esta última viagem foram 3 anos de planejamento. Fizemos um projeto de marketing, estivemos testando os equipamentos por satélite na Ilha da Trindade, a 1300 km da costa brasileira, montamos um programa educacional envolvendo 3000 escolas dos Estados Unidos e, no Brasil, um convênio do Instituto Mackenzie. Em 1996, um ano antes da nossa saída, eu e Heloisa estivemos em Brasília visitando todos os embaixadores dos países em que iríamos aportar, solicitando apoio logístico. Em 95 dois jornalistas foram à Espanha e Portugal e levantaram todos os dados históricos da primeira viagem ao redor do mundo, realizada por Fernão de Magalhães. Eu estive na Yale University, no museu, com os originais do diário de bordo de Pigafetta, que registrou toda a viagem de Fernão de Magalhães. Foi uma emoção muito forte. É muito importante se preparar em terra para sair no mar. Fechamos contrato com a TV Globo no programa Fantástico e todos os meses enviávamos 3h de filmes para 5 minutos de exposição no programa.

AOLVip: E quanto a "Educação Escolar" de seus filhos, como eles estudam?
Schurmann: Na primeira viagem nossos filhos, estudaram por correspondência e depois se formaram nos Estados Unidos em administração de empresas (Pierre); quando passamos na Nova Zelândia, David estava no último ano do segundo grau (por correspondência) e decidiu, com 16 anos, fazer a vida dele e estudar cinema e televisão. Hoje cada um tem a sua atividade, falam 4 idiomas e estão muito bem profissionalmente.

AOLVip: Em algum momento, vocês tiveram vontade de largar tudo e voltar para casa?
Schurmann: Não. Nunca tivemos este momento. Passamos momentos difíceis com a perda dos 2 mastros numa tempestade com ondas de 10 metros na costa da Nova Zelândia no inverno. Naquele momento estávamos lutando contra a Natureza, mas com muito respeito, e fomos administrando a situação até chegar em terra firme, depois de 11 dias. Mas em nenhum momento pensamos em não realizar o sonho de circunavegar o globo.

AOLVip: Viajar em família ajudou a conseguir patrocinadores?
Schurmann: Eu acho que este é um fator positivo devido a união que nós temos. Hoje cada um trabalha em sua área e os patrocinadores querem retorno institucional ou publicitário. Disso nós estávamos muito conscientes. Mesmo nos momentos mais bonitos, como na Polinésia, com águas azuis e praias de areias brancas, que dava vontade de jogar tudo pra cima e não fazer nada...Sabíamos que tínhamos os nossos compromissos e cumpríamos com nossas responsabilidades.

AOLVip: A aventura deixou a família mais unida? E as brigas normais?
Schurmann: As brigas normais sempre existem. Mas a convivência de muitos anos e o diálogo sempre imperou. E sempre fazíamos muitas piadas e brincadeiras, jogando xadrez, lendo, pescando, fazendo exercícios localizados, muita música... E, como eu faço yoga, isso dá uma tranqüilidade muito grande. O respeito entre as pessoas é muito importante.

AOLVip: Gostaria de saber como o Brasil é visto nos lugares por onde vocês passaram?
Schurmann: O Brasil é visto com muito carinho. Nós, brasileiros, temos uma vantagem da comunicação e também que nosso país nunca entrou em guerra com nenhum outro país. O Brasil é visto com bons olhos. As pessoas não acreditam que nós construímos aviões, que é um país moderno, com tecnologia de ponta, e isso nós sempre fizemos questão de dizer. E que temos muito orgulho da nossa pátria.

AOLVip: Qual foi a cultura mais diferente que vocês conheceram?
Schurmann: Na polinésia, a cultura é diversificada e as pessoas vivem como seus ancestrais há mais de 400 anos. No Atol de Uliti, os homens, mulheres e crianças usam somente o sarongue. Para as mulheres, o tabu é não mostrar da cintura pra baixo. Os seios estão sempre a mostra e assim eles vão à igreja e à escola. As mulheres têm uma casa especial para ficar quando estão menstruadas, ou quando estão para dar a luz à uma criança. Os homens também têm suas casas para reuniões, onde discutem a pesca e a distribuição de alimentos entre a aldeia.

AOLVip: Comentário: Meus Parabéns pela coragem que vocês tiveram...!!!!
Schurmann: Obrigado...Estamos programando uma outra viagem e, no dia 28 estamos lançando nosso livro no Shopping Morumbi, escrito por Heloisa. E ficaremos muito contente de recebê-los. Teremos uma exposição de peças de artesanato painéis fotográficos, vídeo, e três seções do barco em tamanho natural para que as pessoas tenham a idéia de como é viver em um pequeno espaço. Será dia 28 a partir das 10 da manhã até às 22h. E vai até o dia 03 de dezembro.

AOLVip: Como era o dia-a-dia dentro do barco? Existia uma divisão de tarefas?
Schurmann: A divisão de tarefas é o segredo do sucesso da nossa viagem. Todos tem que fazer tudo. Eu vou pra cozinha, Heloisa vai pro timão. Todos tem que aprender a velejar e respeitar um ao outro. Quando chegamos em um país é muito importante a ética e o respeito às culturas de cada lugar.

AOLVip: Comentário: Com a popularidade que vocês tem e o amor a natureza gostaria de fazer um pedido. Quando vocês tiverem oportunidade façam um apelo em favor da nossa Floresta Amazônica que infelizmente está morrendo bem devagar.
Schurmann: Este sempre foi um tema muito comentado nos países que passamos. Nós temos um projeto eco cultural que conscientiza a necessidade da preservação do nosso planeta Terra e Água. E o Amazonas está no nosso programa.

AOLVip: Infelizmente o Vilfredo terá que encerrar o bate-papo para cumprir a sua agenda na feira Adventure Sports Fair. Obrigada Vilfredo pela participação.

AOLVip: A America Online está de portas abertas para a Família Schürmann.

  
  

Publicado por em

Greisse Kelly Barbosa Eidelwein

Greisse Kelly Barbosa Eidelwein

07/05/2009 09:05:38
olá família schurmann!!
adorei a entrevista que vocês fizeram,
gostei muito do fato de vocês se abrirem durante as entrevistas,
falarem o necessário,mas o bastante para entendermos tudo,principalmente sobre fazer uma aventura com crianças, que para vocês não tem problema algum.
Ahh... e gostei muito dos projetos da família schurmann!!!

Isabela demathe

Isabela demathe

04/05/2009 16:10:58
Oi tudo bem.
Adorei o texto de vocês.
No dia 13/05/2009 eu irei no instituto.