1.ª Conferência das Cidades acontecerá em Brasília-DF

A Sanepar - Companhia de Saneamento do Paraná vai apresentar uma proposta inédita na `1.ª Conferência das Cidades`, que será realizada nos dias 23 e 26 de outubro, em Brasília (DF). A empresa integra a comissão executiva estadual preparatória à Conferênci

  
  

A Sanepar - Companhia de Saneamento do Paraná vai apresentar uma proposta inédita na `1.ª Conferência das Cidades`, que será realizada nos dias 23 e 26 de outubro, em Brasília (DF). A empresa integra a comissão executiva estadual preparatória à Conferência, promovida pelo Ministério das Cidades.

Segundo a diretora de Meio Ambiente e Ação Social, Maria Arlete Rosa, a Sanepar está inovando ao criar uma forma diferenciada de tratar a relação meio ambiente / responsabilidade sobre a água para abastecimento público.

`Para ter água de qualidade para todos é preciso atuar nas quatro frentes do saneamento: água, esgoto, resíduos sólidos e drenagem urbana. Estamos indo além, na medida que incorporamos uma nova concepção no trato do território urbano`.

Arlete explica que as primeiras ações, sob esta nova filosofia, já estão sendo encaminhadas. Em parceria com a Cohapar, está em desenvolvimento o `Programa Direito de Morar` que atenderá, inicialmente, os moradores da favela do Parolin - que existe há 50 anos, em Curitiba - e a Zumbi dos Palmares, em Colombo (PR).

Pelo programa, a prioridade de preservar a água para abastecimento está mantida, `porém estamos incorporando determinantes sócio-ambientais. O cidadão não pode ser esquecido quando se avalia a ocupação dos espaços urbanos. Por isso, defendemos uma ação integrada com as outras instituições governamentais, com visão holística da sociedade`.

Segundo Arlete, nas regiões mais adensadas, principalmente as metropolitanas de Curitiba e de Londrina, o espaço urbano está sendo considerado a partir da sustentabilidade.

`É preciso manter essas famílias no local onde já vivem há tantos anos. O desafio para o Governo do Estado é implantar medidas que garantam a fixação digna nesses espaços, com moradia e emprego, agregando valor às atividades como a dos catadores`.

Outros determinantes contemplados pelo programa `Direito de Morar` são: Saúde, Educação, Transporte e Segurança.

Base teórica:

Arlete explica, ainda, que além de envolver os mais diversos setores do Governo, o programa terá a participação dos movimentos urbanos e sociais.

`Estamos trabalhando dentro de uma visão sistêmica, a partir da base teórica fundamentada por Milton Santos, autor do livro `A Natureza do Espaço``.

Para Santos, o fenômeno urbano se constrói a partir da rede de relações que tem como foco o indivíduo, no seu local de moradia.

Fonte: Agência Estadual de Notícias

  
  

Publicado por em