50 lideranças discutirão as commodities ambientais em Brasília-DF

A presidente da ONG CTA - Consultant, Trader and Adviser-Geradores de Negócios nos Mercados Futuros e de Capitais, Amyra El Khalili, ministrará um curso Commodities Ambientais, nos dias 4 e 5 de agosto próximo, das 8h30 às 17 horas, na UNIPAZ, Brasíli(DF)

  
  

A presidente da ONG CTA - Consultant, Trader and Adviser-Geradores de Negócios nos Mercados Futuros e de Capitais, Amyra El Khalili, ministrará um curso Commodities Ambientais, nos dias 4 e 5 de agosto próximo, das 8h30 às 17 horas, na UNIPAZ, Brasíli(DF), com representantes de alguns ministérios, Embrapa, Emater, Sebrae, organizações não governamentais, Associações e Cooperativas de diversos setores, principalmente produtos orgânicos e do ecoturismo. Será precedido, na sexta-feira anterior, às 15h, de uma palestra aberta ao público, no auditório da Embrapa sede.

A proposta BECE foi apresentada aos funcionários e convidados da Embrapa, de Brasília, em abril deste ano, em palestra da economista realizada por ocasião do aniversário da empresa, com transmissão pelo sistema Embrapa SAT.

Desde o dia seguinte, um grupo de ONGs se reuniu, já com o apoio da Embrapa, e começou a organizar estes eventos, procurando envolver diversos parceiros, patrocinadores e participantes.

Segundo os organizadores do curso, o objetivo é dar o primeiro passo no sentido de transformar as relações entre sociedade civil, mercados e meio ambiente no Planalto Central. Os Cursos Commodities Ambientais, já ministrados em diversas regiões do país a partir de demandas regionais, são o primeiro passo no sentido da instalação dos Fóruns Regionais que, por sua vez, serão os responsáveis pela definição dos padrões, pesquisas, projetos e certificação de produtos e serviços ambientalmente amigáveis e socialmente justos de cada região.

Amyra El Khalili, economista brasileira, trabalhou quase 20 anos no mercado de futuro e de capitais, sendo uma das primeiras operadoras de pregão da BM&F. Foi palestrante e professora em cursos de extensão de diversas
universidades. Trabalhou no Projeto de Reconstrução Econômica do Líbano, em apoio ao Estado Palestino, em 1993, nos acordos de Oslo.Em 1996, deixou o mercado para se dedicar com exclusividade à ONG CTA. O principal objetivo da Organização é formar novos especialistas para o mercado.

Os dois eventos são promovidos pelas ONGs OCA DO SOL, Comitê da Ação e Cidadania (Embrapa), Embrapa (sede, hortaliças e transferência de tecnologia), sob a Coordenação Geral da Rede Internacional de Comunicação CTA – JMA, com o apoio da ONG CTA – Consultant, Trader and Adviser, do Instituto Cultural e Estudos dos Ecossistemas Aquáticos e Litorais COTAIT RUGGIERO e patrocínio da CAMPO (Cia. de Promoção Agrícola), Unipaz e Embrapa.

Segundo os organizadores, são os participantes do curso de Brasília que decidirão sobre o futuro do projeto. Em
caso positivo, o produto gerado no contexto do Projeto BECE (Bolsa Brasileira de Commodities Ambientais)receberá um selo de commodities ambientais, MARCA BRASIL.

Apresentação:

Um grupo de organizações da sociedade civil está organizando, em parceria com órgãos do governo, este Curso “Commodities Ambientais” como primeiro passo para transformar a relação entre sociedade civil, mercados e meio ambiente no Planalto Central.

Os Cursos “Commodities Ambientais”, ministrados em diversas regiões do Brasil, a partir das demandas regionais, são o primeiro passo no sentido da instalação de Fóruns Regionais, que, por sua vez, serão os responsáveis pela definição dos padrões, pesquisas, projetos e certificação de produtos e serviços ambientalmente amigáveis e socialmente justos daquela região.

Os Fóruns Regionais tornarão o projeto Brazilian Environment Commodities Exchange (BECE), um debate aberto e contínuo sobre os Direitos Humanos frente ao Meio Ambiente versus Meio Ambiente frente ao Mercado Financeiro.

Instrutora : Amyra El Khalili

Economista, com duas décadas de experiência nos mercados de Commodities e de Futuros. Coordenadora do Projeto BECE. Membro do Conselho Editorial do Jornal do Meio Ambiente (Prêmio Global da ONU 500 anos).

Responsável pelas relações Institucionais do Projeto Amazoniapé do Instituto Peabiru de Ecoturismo. Assessora Técnica do Instituto Cotait Ruggiero. Representante no Brasil de Tradings Libanesas e membro da Diretoria do Sindicato dos Economistas, no Estado de São Paulo.

Ementa:

Introdução ao Mercado de Commodities Ambientais. Efeitos do Mercado na cultura e economia locais e vice-versa. Relação com o mercado internacional.Agrobusiness e Ecobusiness. A construção coletiva do Projeto BECE.

Conteúdo programático :

1. O que são Commodities Ambientais

2. A importância da conceituação brasileira na aplicabilidade da cultura local

3. Como funciona ou o que funciona no mercado internacional

4. Commodities Ambientais e os setores produtivos

5. Marketing & Agribusiness versus Marketing & Ecobusiness

6. Projeto BECE – Brazilian Environment Commodities Exchange

7. Avaliação e encerramento do curso

Carga horária : 16 horas

Resultados esperados:

Ao final do curso, os participantes apresentarão suas conclusões que serão reunidas em um documento base, construído coletivamente, para a Implantação e Instalação do Fórum Regional BECE para o Cerrado do Planalto Central.

Metodologia:

Apresentação de Conceitos e Teorias-Chave, seguidos de debates e discussões.

Público alvo:

-Representantes de cooperativas e associações de produtores e artesãos

-Representantes de diversos ministérios e do governo local

-Representantes de organizações não governamentais

-Membros de órgãos de pesquisa, ensino e extensão

-Representantes do setor empresarial

Curso – 4 e 5 de agosto de 2003, na UNIPAZ.

Palestra de abertura - 1o de agosto, 15h, no Auditório da Embrapa Sede (aberta ao público)

Informações e inscrições: (61) 9103 3696

Fonte: Maria do Carmo Zinato

  
  

Publicado por em