A Associação Mico-Leão-Dourado está selecionando projetos de conservação da biodiversidade

A Associação Mico-Leão-Dourado está selecionando para financiamento projetos de conservação da biodiversidade da Mata Atlântica que promovam o fortalecimento da instituição proponente. De acordo com a diretora técnica da associação, Paula Procópio de

  
  

A Associação Mico-Leão-Dourado está selecionando para financiamento projetos de conservação da biodiversidade da Mata Atlântica que promovam o fortalecimento da instituição proponente.

De acordo com a diretora técnica da associação, Paula Procópio de Oliveira, a maioria das organizações participantes do programa é pequena e um dos principais
objetivos do fomento é que possam aproveitar a oportunidade para adquirir equipamentos e pessoal.

O edital, terceiro e último do Programa de Fortalecimento Institucional promovido em conjunto com o Fundo de Parcerias para Ecossistemas Críticos, prevê o financiamento de propostas entre R$ 5 mil e R$ 25 mil.

Qualquer organização do terceiro setor que atue na região e tenha a conservação do meio ambiente no seu estatuto pode participar. Segundo Paula, grande parte das instituições que participaram dos dois editais anteriores tinha carência de veículos e até de computadores para executar as ações.

`Muitas delas estão fazendo seu primeiro projeto. A idéia é que peguem experiência para concorrer em editais importantes ou consigam prestar serviços para órgãos do governo`, explica a diretora.

A área de abrangência do programa é o Corredor Serra do Mar, que inclui quase todos os municípios do Rio de Janeiro, alguns de São Paulo e Minas Gerais.

O programa, que vai até 2006, pretende com este último edital, além de fortalecer as organizações que trabalham com meio ambiente, ajudar na implementação do Corredor Serra do Mar.

`Foram feitos estudos na região, que é muito rica e abrange vários tipos de unidades de conservação, e a idéia é formar um corredor de biodiversidade`, diz.

Paula explica que o objetivo é que o Vale do Paraíba seja incluído nessa área, chamada pelas entidades internacionais de conservação de hotspots – regiões que englobam 1,4% da superfície da Terra e onde se concentram mais de 60% das espécies terrestres do globo.

Vinte e três instituições já participam do programa e, segundo Paula, quase 50% dos projetos financiados estão relacionados à educação ambiental.

`Este tipo de iniciativa acaba envolvendo as comunidades locais, o que é muito bom. Existem também alguns projetos sobre ecoturismo e outros de recuperação de área`, conta.

De acordo com Paula, o fato de as instituições terem parcerias com outras entidades vai pesar positivamente na avaliação das propostas.

`Melhor ainda se tiver convênio com algum órgão público. É uma prova de que terão mais chances de dar continuidade à iniciativa depois que o programa terminar`, explica.

As entidades também podem mandar projetos conjuntos, em nome de uma das instituições parceiras.

A diretora conta que a associação realizou um workshop com todas as entidades participantes do programa e a idéia é realizar mais um no fim do terceiro edital. `O objetivo é mostrar os resultados e trocar experiências`, diz.

A data limite de envio das propostas é 29 de outubro, e o prazo de execução é de 12 meses a partir da data de contratação. O edital, assim como o mapa dos municípios do Corredor Serra do Mar, pode ser acessado na página da Associação Mico-Leão-Dourado.

Fonte: RETS

  
  

Publicado por em