A obra `A questão ambiental - diferentes abordagens` foi lançada no Rio de Janeiro

Alunos de graduação e pós-graduação e mesmo leigos interessados no assunto são o público-alvo do lançamento da editora Bertrand Brasil, `A questão ambiental - diferentes abordagens`. O livro está nas livrarias desde abril e no dia 10 de junho foi lanç

  
  

Alunos de graduação e pós-graduação e mesmo leigos interessados no assunto são o público-alvo do lançamento da editora Bertrand Brasil, `A questão ambiental - diferentes abordagens`.

O livro está nas livrarias desde abril e no dia 10 de junho foi lançado oficialmente, com a presença dos organizadores, Sandra Baptista da Cunha e Antônio José Teixeira Guerra, na sede do Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura, do Rio de Janeiro. Houve mesa-redonda e debate com os autores.

A questão ambiental, como indica o título, é o fio condutor dos capítulos escritos por especialistas ligados a universidades federais como a do Rio de Janeiro (UFRJ), do Pará (UFPA), Fluminense (UFF) e a estadual do Rio de Janeiro (UERJ).

Os temas abordados são sociedade e natureza, política e gestão ambiental, sustentabilidade e educação ambiental, perícia, turismo sustentável, encostas e canais fluviais.

A obra levanta, entre outras discussões, a recuperação de áreas degradadas, em encostas e áreas fluviais, e procedimentos a serem adotados para se realizar uma perícia ambiental.

Além disso, é um manual, com dados e análises, para quem está na liderança de organizações não- governamentais. Uma curiosidade no capítulo sobre encostas, por exemplo, é o registro da diferença de abordagem da geologia e da geografia para determinação de declividade.

`A geologia registra a declividade, em graus, e a geologia em percentagem. Não seria problema até o máximo em graus, que é 45, correspondente a 100% de declividade. No entanto, casos de 80º corresponderiam a 567% de declividade`, observa Guerra, autor do capítulo.

O livro tem 248 páginas e índice remissivo que facilita a procura de temas, por associação de palavras.

Fonte: Agência Brasil

  
  

Publicado por em