Abifibro participa de audiência pública em São Paulo sobre a substituição do uso do amianto

João Carlos Duarte Paes, presidente da Abifibro - Associação Brasileira das Indústrias e Distribuidores de Produtos de Fibrocimento, participará hoje, 13, às 14h de audiência pública na Assemblé

  
  

João Carlos Duarte Paes, presidente da Abifibro - Associação Brasileira das Indústrias e Distribuidores de Produtos de Fibrocimento, participará hoje, 13, às 14h de audiência pública na Assembléia Legislativa do Estado de São Paulo (ALESP) sobre o uso do amianto no Brasil.

Na ocasião, João Carlos Paes dará depoimento sobre o posicionamento da Abifibro, favorável à substituição do uso do amianto no Brasil, tendo em vista que o país já conta com tecnologia e produto similar de qualidade e aprovado pelo Ministério da Saúde.

Faz parte da mesa dos trabalhos, o Dep. Marcos Martins, Dr. Renê Mendes (médico, professor universitário aposentado, ex-Fundacentro), Eliezer João de Souza, presidente da Abrea - Associação Brasileira dos Expostos ao Amianto, entre outros.

Sobre a Abifibro :

Fundada em 1996, a Abifibro é a entidade que reúne as empresas fabricantes e fibrocimento sem a adição do amianto.

A Abifibro trabalha para que o Governo aprove lei que dite a substituição do amianto no Brasil, em um prazo determinado para adequação do mercado e das empresas, uma vez que já há produto para substituir o amianto no Brasil, com as mesmas características técnicas e ainda aprovados pelo Ministério da Saúde.

Dados de mercado:

- A Rússia é o maior produtor mundial de amianto crisotila com cerca de 880.000 toneladas/ano, seguida pela China com uma produção em torno de 320.000 ton/ano.

- O Brasil vem em terceiro lugar, com uma produção anual de 240.000 toneladas, o que equivale a 11% da produção mundial.

- O amianto é utilizado em um grande número de atividades industriais, calculando-se mais de 3 mil aplicações industriais.

- O principal segmento de utilização de amianto é o fibrocimento usado na fabricação de telhas onduladas, placas de revestimento, painéis, dividósiras, tubos e caixas d´água, etc. Este segmento consome cerca de 85% da produção da fibra. O segundo maior consumidor é o segmento de materiais de fricção, papelão hidráulico, representando 10% da participação. O mercado de têxtil/tecidos e o mercado de química/plástica respondem, respectivamente, pelos 3% e 2% restantes.

O Brasil tem alternativa para a substituição do amianto aprovadas pelo Ministério da Saúde:

- O PVA – álcool poli vinílico - é produzido hoje no Japão e China. Como o Japão aboliu o uso do amianto, passou a consumir a produção de PVA, o que encarece o produto – chega ao Brasil 35% a 40% mais caro que o amianto;

- O PP – polipropileno – é feito no Brasil. Em função de não ser produzido em escala, o valor ainda é 10% mais alto que o amianto. O produto ainda confere a característica da reciclabilidade.

SERVIÇO: Audiência Pública

Data : 13/09/07

Horário : 14h

Local : Assembléia Legislativa do Estado de São Paulo – ALESP

Av. Pedro Álvares Cabral, nº 201

São Paulo – SP

Fonte : Yellow Comunicação

Del Valle Editoria

Contato: vininha@vininha.com

Site: www.animalivre.com.br

  
  

Publicado por em