Abrelpe lança estudo sobre resíduos sólidos

Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais está lançando o “Panorama dos Resíduos Sólidos no Brasil - 2003”, uma publicação destinada a órgãos governamentais, imprensa e sociedade em geral que traz dados sobre a

  
  

Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais está lançando o “Panorama dos Resíduos Sólidos no Brasil - 2003”, uma publicação destinada a órgãos governamentais, imprensa e sociedade em geral que traz dados sobre a situação dos resíduos sólidos no país, englobando resíduos urbanos, resíduos de serviços de saúde, resíduos industriais, coleta seletiva e reciclagem.

Além de fazer uma compilação dos levantamentos já existentes, o estudo apresenta informações inéditas, como uma estimativa dos recursos necessários para suprir as quase 100 mil toneladas diárias de lixo urbano que têm destinação inadequada.

“Estimamos que os investimentos pré-operacionais necessários alcancem o montante de R$ 800 milhões, baseado na implantação de aterros sanitários com vida útil de 20 anos. O custo operacional médio, incluindo tratamento do percolado e provisionamento para fechamento final dos aterros, ascende a R$ 40 milhões por mês”, detalha Eduardo Castagnari, presidente da Abrelpe.

O documento mostra ainda que o estado de São Paulo trata 94% de seus resíduos de serviços de saúde, uma exceção se comparado ao restante do país, onde mais de 2,5 mil municípios descartam esse tipo de resíduo de maneira inconveniente.

“Um estudo que realizamos mostrou que, em São Paulo, existe uma capacidade instalada de 7 mil toneladas por mês para uma demanda atual de 5 mil toneladas”, ressalta.

Para facilitar o entendimento das informações apresentadas, o trabalho inclui um glossário completo com a definição de termos como aterro controlado e estação de transferência,além de indicadores,referências bibliográficas e sites de entidades de classe, órgãos governamentais e institutos de pesquisa.

A Abrelpe transformará o “Panorama dos Resíduos Sólidos no Brasil” em uma publicação periódica do setor.

“Assumimos o compromisso de atualizar anualmente este estudo, de forma a contribuir
continuamente para o entendimento e a quantificação do problema representado pelos resíduos no país,possibilitando o correto equacionamento das soluções”, conclui Castagnari.

Fonte: Accesso Assessoria de Comunicação

  
  

Publicado por em