A Amazônia tem motivos para comemorar o Dia Internacional da Floresta Tropical

A Amazônia tem bons motivos para comemorar. Na data em que se celebra o Dia Internacional da Floresta Tropical (26 de Junho), a organização ambientalista Conservação Internacional (CI-Brasil), a Fundação Alc

  
  

A Amazônia tem bons motivos para comemorar. Na data em que se celebra o Dia Internacional da Floresta Tropical (26 de Junho), a organização ambientalista Conservação Internacional (CI-Brasil), a Fundação Alcoa e a Alcoa Alumínio S.A. lançam um programa de apoio à conservação da biodiversidade em uma das áreas mais ricas em espécies da região, entre os rios Tapajós e Madeira, ao Oeste do Pará e Leste do Amazonas.

A iniciativa é reconhecida pelo Ministério do Meio Ambiente, por meio do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (IBAMA) e pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente do Pará (SEMA).

O Programa terá a duração de cinco anos e receberá R$ 2 milhões das instituições parceiras. O objetivo principal é colaborar com a implementação das unidades de conservação nesta região, estratégia indicada como sendo a mais eficiente para proteger a biodiversidade e conter o desmatamento em áreas de grande dinâmica social e econômica, segundo muitos estudos de referência.

A iniciativa é a expansão de uma parceria que já comemora três anos. Desde 2004, com suporte financeiro da Alcoa, a Conservação Internacional está trabalhando no Parque Nacional da Amazônia, em Itaituba, no Pará.

“Com os trabalhos realizados no Parque, percebemos que, se apoiarmos os gestores das unidades de conservação e a população local com informações, capacitação, recursos técnicos e financeiros, é possível mudar comportamentos e, em pouco tempo, criar um movimento positivo em prol da conservação da biodiversidade na região.

O sucesso desta experiência fez com que a Conservação Internacional, a Alcoa e a Fundação Alcoa trabalhassem juntas para desenhar um programa que beneficiasse também outras unidades de conservação na região”, explica José Maria Cardoso da Silva, vice-presidente de Ciência da CI-Brasil.

“A Alcoa tem um compromisso com o uso sustentável dos recursos naturais. Por meio do diálogo com a comunidade, promovido em todas as localidades onde a companhia trabalha, mas especialmente na implantação da Mina de Juruti, no Pará, estamos compartilhando a construção de um empreendimento sustentável, que busca também a conservação da biodiversidade.

A implementação efetiva das unidades de conservação, que serão beneficiadas pelo Programa de Conservação, é um dos maiores legados que podemos deixar para a sociedade amazônica”, afirma Franklin L. Feder, presidente da Alcoa América Latina.

Na primeira fase do programa, foram selecionadas cinco unidades de conservação como prioritárias para investimentos: Reserva Extrativista Tapajós-Arapiuns, Parque Nacional da Amazônia, Floresta Nacional do Pau Rosa, Floresta Estadual de Maués e Floresta Nacional de Amaná.

Essas unidades estão praticamente conectadas entre si e formam o núcleo de um novo Corredor de Biodiversidade na Amazônia, com quase 10 milhões de hectares, distribuídos entre os municípios de Juruti (PA), Maués (AM), Santarém (PA), Aveiro (PA) e Itaituba (PA).

Programa de Conservação:

O Programa será dividido em quatro componentes. O primeiro tem como objetivo fazer um diagnóstico da situação das cinco unidades de conservação para identificar as ações prioritárias em cada uma delas. Um detalhado mapeamento institucional será feito para compreender as percepções da sociedade local sobre estas unidades e a capacidade técnica existente na região para o desenvolvimento de projetos de conservação.

O segundo componente é o de apoio à implementação das cinco unidades de conservação prioritárias por meio da alocação de recursos técnicos e financeiros aos gestores das unidades. Estes devem submeter projetos para serem avaliados do ponto de vista técnico e, caso aprovados, eles passarão a receber o apoio do Programa.

O terceiro componente do Programa de Conservação visa a capacitar, por meio de cursos e seminários, indivíduos e instituições locais para o desenvolvimento de programas de conservação e desenvolvimento sustentável.

Por fim, o quarto componente objetiva conceder apoio técnico e financeiro para que os indivíduos e as instituições capacitadas no componente anterior possam desenvolver seus próprios projetos ambientais.

“O primeiro e o segundo componentes do Programa de Apoio à Conservação da Biodiversidade da região Tapajós-Madeira serão desenvolvidos durante o ano de 2007, enquanto os outros serão iniciados a partir do ano que vem. O que a CI-Brasil e a Alcoa farão é criar um mecanismo de apoio à implementação das unidades de conservação que já existem nesta área.

A execução das atividades será feita pelos órgãos ambientais, com a colaboração da sociedade local”, enfatiza Maurício Born, gerente de Saúde, Segurança, Meio Ambiente e Sustentabilidade da Alcoa.

Desenvolvimento sustentável:

Segundo Maurício Mercadante, diretor de Áreas Protegidas do Ministério do Meio Ambiente (MMA), a iniciativa lançada pelas duas organizações está de acordo com as diretrizes do Governo, que busca promover o desenvolvimento local e regional com base na conservação e no uso sustentável dos recursos naturais.

“Queremos gerar riqueza, emprego e renda. Melhorar a vida das pessoas sem destruir a floresta, mantendo-a em pé e o mais íntegra possível sob o ponto de vista ecológico”, afirma.

Mercadante retoma a experiência que uniu várias instituições, como o Ibama, a CI-Brasil e a Alcoa, em projeto de apoio ao Parque Nacional da Amazônia, que teve como um de seus resultados a implantação de infra-estrutura para o uso público da área, com a construção de um mirante e de trilhas interpretativas no local.

“O turismo, como se sabe, está entre as mais importantes atividades econômicas do mundo, cresce em ritmo acelerado e gera muitos empregos. As Florestas Nacionais e Estaduais, com a aprovação da Lei de Gestão de Florestas Públicas, passaram a oferecer uma oportunidade real para o pleno desenvolvimento da economia florestal na região”.

O diretor do Ministério do Meio Ambiente ressalta que a transformação desse potencial em realidade vai demandar investimentos em planejamento, capacitação, infraestrutura, monitoramento, entre outras atividades, e acredita que esse desafio só será enfrentado com sucesso a partir de uma ação conjunta e integrada entre governo e sociedade. “A iniciativa da Conservação Internacional e da Fundação Alcoa é um passo importante nessa direção e conta com o apoio do MMA”, completa.

Por sua vez, Valmir Ortega, secretário de Meio Ambiente do Estado do Pará, afirma que “o Governo do Estado do Pará considera esta iniciativa da Conservação Internacional e da Alcoa como um bom exemplo de como o setor empresarial e o terceiro setor podem se unir visando a contribuir com a conservação da biodiversidade de um dos lugares mais ricos do planeta. Esta iniciativa complementa todo o esforço que estamos fazendo, sob a liderança da governadora Ana Júlia, para promover o desenvolvimento social e econômico do Pará sem que isso leve à perda do nosso extraordinário capital natural”.

Biodiversidade local:

Entre a diversidade de animais presentes na região Tapajós-Madeira, há espécies endêmicas – que são encontradas somente naquela região – tais como a Mãe-de-taoca-arlequim (Rhegmathorina berlepschi), uma bonita ave encontrada em sub-bosques da floresta e que segue marchas de formigas-de-correição, e dois pequenos primatas conhecidos como Sagüi-de-Santarém (Mico humeralifer) e Sagüi-de-Maués (Mico mauesi).

Além disso, há registros comprovados de populações de espécies ameaçadas de extinção, tais como a ararajuba (Guaruba guarouba), o periquito verde-amarelo, que depende de extensas florestas para a sua sobrevivência, e a arara-azul (Anodorhynchus hyacinthinus).

Serviço:

Lançamento do Programa de Apoio à Conservação da Biodiversidade na Amazônia

Local: Auditório Alexandre Ferreira – Museu Paraense Emílio Goeldi
Avenida Magalhães Barata, 376 – São Brás – Belém, PA

Fonte: CDI

Del Valle Editoria

Contato: vininha@vininha.com

Site: www.animalivre.com.br

  
  

Publicado por em