Amazônia por terra e pelo ar

Instituições de pesquisa, órgãos do governo federal e organizações não governamentais se uniram para realizar a segunda fase da Expedição Científica à Terra do Meio

  
  

Instituições de pesquisa, órgãos do governo federal e organizações não governamentais se uniram para realizar a segunda fase da Expedição Científica à Terra do Meio, que visitou a porção norte da floresta nacional (flona) de Altamira e mobilizou uma equipe de 12 pesquisadores para concluir a avaliação ecológica rápida, iniciada em 2007. Para viabilizar o trabalho de pesquisa, em junho, a viagem de campo contou ainda com uma equipe de logística e com o apoio do Exército Brasileiro, que levou as equipes de helicóptero para o acampamento na selva.

A expedição só foi possível graças ao trabalho em parceria. Além do WWF-Brasil, responsável pela organização da expedição, e do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e do Serviço Florestal Brasileiro (SFB), responsáveis pela gestão da flona, participaram da viagem de campo o Museu Paraense Emílio Goeldi (MPEG), o Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA) e o Projeto Onça Parda. Os integrantes da expedição saíram de cidades como São Paulo, Brasília, Manaus e Belém em direção a Itaituba, no Pará, onde ocorreram as primeiras reuniões de alinhamento entre as equipes de logística, comunicação e pesquisa.

De Itaituba, a equipe foi de helicóptero para a Fazenda Roversi, próxima à BR-163 e à Flona de Altamira. O voo no helicóptero Cougar evitou que a equipe de pesquisadores tivesse que enfrentar 12 horas de estrada de terra, em caminhonetes traçadas para vencer os buracos e atoleiros da BR-163. O comandante e o piloto, capitão Santos Júnior e capitão Dorneles, com o apoio dos sargentos Loures e Jailson, do 4º Batalhão de Aviação do Exército, foram os responsáveis pelo transporte da equipe.

Com o helicóptero, foi possível que 10 membros da equipe, entre eles os três responsáveis pela área de botânica, fizessem um sobrevoo de reconhecimento das tipologias de vegetação presentes na Floresta Nacional de Altamira, ação indispensável para a conclusão do plano de manejo da unidade de conservação.

Além da equipe de pilotos e mecânicos, o Exército colocou à disposição da expedição uma equipe especializada em resgate e salvamento, composta pelo sub-tenente Viana e pelo soldado Manoel. Em caso de qualquer emergência, eles estavam prontos para socorrer e remover pesquisadores e mateiros. Para a manutenção do helicóptero, foram destacados ainda o soldado Reis, responsável pelo abastecimento da aeronave, e o sargento Cândido, mecânico especializado na manutenção dos instrumentos de voo do Cougar. O apoio do Exército Brasileiro foi fundamental para garantir o transporte e a segurança da equipe da expedição.

Os resultados da expedição serão sistematizados durante uma oficina, a ser realizada ainda em 2009. As instituições de pesquisa, as ONGs e os órgãos de governo envolvidos na expedição se reunirão para consolidar as informações de todas as pesquisas realizadas, desde 2007, inclusive os levantamentos dos meios físico, biótico e socioeconômico. Com isso, fica tudo pronto para a elaboração do plano de manejo.

Fonte: WWF

  
  

Publicado por em