Ano da França no Brasil é nova oportunidade para proteger a Amazônia

Para o WWF-Brasil e o WWF-França, o evento é uma oportunidade para reforçar a cooperação entre os dois países no sentido de garantir a conservação da biodiversidade única que compartilham na Amazônia

  
  

Organizado há quatro anos, o evento vai estimular intercâmbios em diversos campos entre os dois países. Para o WWF-Brasil e o WWF-França, o evento é uma oportunidade para reforçar a cooperação entre os dois países no sentido de garantir a conservação da biodiversidade única que compartilham na Amazônia, uma das mais importantes áreas do mundo, particularmente na sua relação com a mitigação das mudanças climáticas.

Brasil e França assinaram, em dezembro de 2008, um acordo bilateral considerado fundamental na luta contra o garimpo ilegal em áreas protegidas. O documento visa a reforçar a regulamentação e o controle do garimpo, endurecer as sanções contra atividades ilegais e estabelecer novos mecanismos de cooperação. Há acordos bilaterais também para promover pesquisas relacionadas ao conhecimento e à conservação da biodiversidade.

"O Ano da França no Brasil é uma excelente oportunidade de dar a este acordo de cooperação a importância que merece, permitindo que ambos os países mantenham o compromisso de limitar o garimpo ilegal na fronteira Brasil/Guiana Francesa", disse Cláudio Maretti, superintendente de Conservação do WWF-Brasil.

Segundo Cláudio Maretti também é importante o aprofundamento dos intercâmbios para planejamento integrado e fortalecimento do Parque Amazônico da Guiana (França) e o Parque Nacional Montanhas do Tumucumaque (Brasil). Várias organizações, inclusive a Rede WWF, consideram o planalto das Guianas e seu entorno como das áreas mais relevantes no mundo para a conservação da biodiversidade.

Como os representantes do WWF-França observaram há duas semanas, a situação atual na fronteira franco-brasileira é alarmante. Assim, apesar das operações das forças de intervenção francesa e brasileira, o Parc Amazonien de Guyane (Parque Amazônico da Guiana) é particularmente atingido pelo aumento do número de áreas de garimpo ilegal de ouro. O Parque Nacional das Montanhas do Tumucumaque, que se encontra do outro lado da fronteira, hospeda a retaguarda da atividade ilegal. Dali que partem homens, alimentos e combustível para sustentar o garimpo ilegal no parque da Guiana.

Segundo o WWF-Brasil e o WWF-França, o Ano da França no Brasil deve permitir: difundir plenamente o acordo com o público brasileiro e francês, promover a ratificação rápida do acordo pelas partes, fortalecer o intercâmbio entre as áreas protegidas, facilitar as discussões com as partes interessadas sobre a estratégia e os recursos necessários para a implementação do acordo e iniciar o mais rapidamente possível a implementação do acordo.

Fonte: WWF

  
  

Publicado por em