Campanha pede benefícios fiscais para incentivar o uso de automóveis elétricos

A realização do 5° Seminário e Exposição de Veículos Elétricos nos dias 25 e 26 de outubro, no Rio de Janeiro, servirá como um reforço de um campanha para que os governos estaduais conceda

  
  

A realização do 5° Seminário e Exposição de Veículos Elétricos nos dias 25 e 26 de outubro, no Rio de Janeiro, servirá como um reforço de um campanha para que os governos estaduais concedam benefícios fiscais para incentivar a aquisição de automóveis elétricos em todo o país.

A proposta da Associação Brasileira de Veículos Elétricos, organizadora do evento ao lado do Instituto Nacional de Eficiência Energética (INEE), inclui a isenção do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) e a redução da alíquota do Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) para os veículos automotores acionados por motor elétrico.

As solicitações fazem parte do trabalho da ABVE para a redução da emissão de poluentes e gases de efeito estufa, que contribuem para o aquecimento global, e pelo uso mais eficiente das diversas formas de energia através do aumento do uso de veículos elétricos.

"A poluição provocada pelos automóveis há tempos é uma questão de saúde pública. No Brasil, cerca de 13 mil pessoas morrem a cada ano por contaminação do ar, conforme dados da Organização Mundial de Saúde (OMS). O maior problema está no tráfego de veículos, onde são geradas emissões de poluentes fulminantes", explica Antonio Nunes Jr, diretor-presidente da entidade.

Poluição fatal:

O posicionamento da ABVE é pela adoção de medidas que representem o aumento da eficiência energética no setor de transporte, e as reduções das emissões de poluentes atmosféricos e dos ruídos nas cidades por meio do incentivo ao uso de veículos elétricos.

Nunes lembra que 53% da energia primária consumida no Brasil são de origem fóssil, e que apenas o setor de transporte consome 44% desse total com participação relevante nas emissões de poluentes. No mundo, o setor de transporte é responsável por cerca de 20% do dióxido de carbono (CO2) lançado na atmosfera.

A participação das frotas das grandes cidades na emissão de gases do efeito estufa aumenta 2,5% a cada ano. Nos países em desenvolvimento essa taxa atinge até 4,4% ao ano.

Legislações estaduais:

Criada há pouco mais de um ano para incentivar o uso de toda a família de veículos elétricos no Brasil (a bateria, híbridos, de célula a combustível e trólebus), um dos primeiros trabalhos da ABVE foi o mapeamento, em todo o Brasil, das medidas adotadas pelos governos estaduais para a redução das emissões no setor de transporte.

O levantamento revelou que apenas 10 estados brasileiros já adotaram alguma medida nesse sentido: sete Estados (Ceará, Maranhão, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul e Sergipe) isentam do IPVA os proprietários de veículos movidos a motor elétrico (ou de força motriz elétrica).

Outros três Estados estabelecem alíquotas reduzidas para os proprietários de veículos movidos a eletricidade: no Mato Grosso do Sul a legislação permite ao Poder Executivo reduzir em até 70% o IPVA de veículos acionados a eletricidade; no Rio de Janeiro a legislação prevê alíquota de 1% para os veículos que utilizam energia elétrica (corresponde a 75% de redução em relação aos automóveis a gasolina); e, em São Paulo, há uma redução de 25% no IPVA de automóveis de passeio, esporte, de corrida e camionetas de uso misto, movidos a eletricidade.

Outro incentivo, em São Paulo, é que o rodízio não atinge veículos elétricos. Segundo a lei do rodízio para a Região Metropolitana da Grande São Paulo, aprovada em 1997, os veículos elétricos, independentemente do número final da placa, não têm restrição de circulação. A divulgação recente desta informação, de acordo com Nunes, fez com que a ABVE passasse a receber diversas consultas de pessoas interessadas em comprar carros elétricos para poder circular livremente em São Paulo.

Nos demais 15 Estados: Acre, Alagoas, Amapá, Amazonas, Bahia, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Rondônia, Santa Catarina e Tocantins - e no Distrito Federal não há nenhuma isenção ou redução específica para veículos elétricos.

Seminário e Exposição:

Organizado pelo Instituto Nacional de Eficiência Energética (INEE) e pela Associação Brasileira do Veículo Elétrico (ABVE), o Seminário e a exposição de Veículos Elétricos serão realizados no Centro Cultural Light, localizado à Avenida Marechal Floriano nº 168, no Rio de Janeiro.

O evento reunirá especialistas de vários setores para a discussão dos principais aspectos relacionados aos veículos elétricos, sejam a bateria, híbridos e de célula a combustível.

A exposição, franqueada ao público em geral, incluirá tecnologias, produtos e serviços, apresentando as novidades dos mercados que envolvem os veículos elétricos. O programa do seminário conta com palestras, painéis, mesa redonda e workshops para o debate sobre a quebra de paradigma que pode ser provocada com a chegada dos veículos elétricos ao mercado, revolucionando os setores automotivo, de transporte, energético e ambiental.

Informações podem ser obtidas pelo telefone (21) 2510-3474 ou pelo e-mail. VE2007@ve.org.br.

Serviço:
VE 2007 - 5° Seminário e Exposição de Veículos Elétricos
Data: 25 e 26 de outubro
Horário: das 8:30h às 18:00h
Local: Centro Cultural Light - Avenida Marechal Floriano nº 168, Rio de Janeiro, RJ

Fonte: Ateliê da Notícia

Del Valle Editoria

Contato: vininha@vininha.com

Site: www.animalivre.com.br

  
  

Publicado por em

José

José

17/03/2009 21:01:44
É uma pena que o povo, e principalmente os governantes, não percebem como os gases produzidos pelos motores de combustão interna prejudicam diretamente a saúde dos seres humanos, animais e até dos vegetais. Também não entendem que tais gases contribuem substancialmente para a ocorrência do famigerado efeito estufa, e, por conseguinte, o aquecimento global. Parabéns ao INEE e à ABVE pela brilhante atuação.