Empresa investiu US$ 250 mil em ações ambientais

Depois de sua separação da Shell, a KRATON mundial criou suas próprias políticas e as repassou para suas subsidiárias.A KRATON brasileira segue essas orientações, mas também tem autonomia para desenvolver iniciativas locais em função das diversidades do s

  
  

Depois de sua separação da Shell, a KRATON mundial criou suas próprias políticas e as repassou para suas subsidiárias.A KRATON brasileira segue essas orientações, mas também tem autonomia para desenvolver iniciativas locais em função das diversidades do seu entorno.

Visando o monitoramento das condições ambientais e de saúde vigentes em sua fábrica e regiões vizinhas, localizada em Paulínia no interior do estado de SP, a empresa atua de três formas: aplicando seus recursos tecnológicos internos, utilizando os processos já desenvolvidos por órgãos públicos competentes e ações em parceria com a comunidade.

Em relação ao uso de tecnologia própria, dispõem de recursos modernos que possibilitam as seguintes medidas:

-O direcionamento de todos os vents (gases) de seus tanques de armazenagem e equipamentos de processo para um flare (queimador). Com este procedimento, é possível queimar os gases e assim impedir que sejam liberados no meio ambiente;

-A existência de proteção impermeável em toda a área de processo. A proteção retém todos e quaisquer efluentes líquidos, incluindo água de chuva, em uma bacia de contenção própria, onde são analisados antes de eventual descarte.

Também foram instalados equipamentos específicos para determinar a Demanda Química de Oxigênio - DQO e Demanda Bioquímica de Oxigênio - DBO, que analisam a quantidade de matéria orgânica existente nos efluentes;

-A criação de uma unidade de tratamento biológico,destinada à adequação de todo e qualquer esgoto doméstico da fábrica seguindo as normas vigentes, determinadas pelo Conama -Conselho Nacional e MeioAmbiente e Cetesb, antes do descarte.

A iniciativa mais recente, efetivada em novembro de 2002,foi a implantação do Projeto TERRA (Tratamento E Reciclagem de Resíduos Aquosos) que reduz a captação de água do Rio Atibaia ao mínimo necessário para repor perdas ocorridas por evaporação na torre de resfriamento e para eventual combate a incêndio.

O processo que consistia no refugo dos resíduos aquosos ou, se contaminados, envio para tratamento em unidades da SABESP, passa agora pela reciclagem.

“Nossa demanda pela água nos processos de produção foi reduzida em 50%, o que nos permite contribuir para preservação desse recurso natural em escassez em nossos dias”, declara Pedro Lanzoni, diretor presidente da empresa.

Quanto a seguir processos já implantados por órgãos governamentais, a KRATON Polymers do Brasil adota o Programa de Prevenção de Riscos Ambientais (PPRA) e o Programa de Controle Médico e de Saúde Ocupacional(PCMSO), conforme recomendado no âmbito das Normas Regulamentadoras do Ministério do Trabalho e Emprego.

No caso dos resíduos líquidos e lixo industrial da planta,estes são enviados para incineração, em empresas devidamente cadastradas e autorizadas pela Cetesb ou
órgão ambiental correspondente em outros estados,mediante os CADRI’s (Certificados de Aprovação de Destinação de Resíduo Industrial).

A empresa também é signatária do Programa de Atuação Responsável da Associação Brasileira da Indústria Química - ABIQUIM, que visa à implantação de práticas e procedimentos gerenciais que garantam o cumprimento da
legislação existente no âmbito da Segurança, Saúde Ocupacional e cuidados com o Meio Ambiente.

Para a comunidade, a KRATON Polymers do Brasil procura aliar preservação do meio ambiente com escopo educacional e geração de benefícios:

-Projeto Reciclando com a Escola - há mais de três anos conta com a parceria do Grupo ORSA e das Secretarias Municipais de Defesa e Desenvolvimento do Meio ambiente e da Educação, para realizar a coleta seletiva de papel, madeira, vidro e plástico em suas instalações, com a renda revertida em benefício de escolas de Paulínia.

-Semana do Meio Ambiente - evento anual de educação ambiental, também patrocinado pela empresa, com duração de cinco dias e direcionado aos alunos do primeiro e segundo graus. Sua realização é feita em conjunto da Secretaria Municipal de Defesa e Desenvolvimento do Meio Ambiente e outras empresas da região.

Outras iniciativas de responsabilidade social - Dentro de sua filosofia de melhoria contínua, A KRATON Polymers do Brasil também contribui para inclusão digital, inserção social e educação à comunidade carente de sua proximidade. Os materiais reciclados na coleta seletiva geram renda que a empresa reverte integralmente para a melhoria das escolas de Paulínia.

Desde o início do programa já propiciou às escolas patrocinadas: instalação de bebedouros, aquisição de computadores, retroprojetores e sistemas de som.

Atualmente, em parceria com a Secretaria Municipal de Esportes e Recreação, patrocina os times de futebol de salão da cidade, atendendo cerca de 400 crianças e
adolescentes, que têm acesso à recreação e inserção no meio social.

Sobre a KRATON Polymers do Brasil :

A filial brasileira iniciou suas atividades no país em janeiro de 2000. Dispõe de duas unidades de operação, o escritório comercial na capital paulista e a fábrica na cidade de Paulínia, interior de SP. Seguindo o mesmo padrão de outras localidades onde o grupo mundial está presente, a operação brasileira também está capacitada a produzir polímeros sintéticos utilizados em solados de calçados, adesivos, selantes, modificação de asfaltos (usado em pavimentação e impermeabilização) e de plásticos.

A empresa é certificada de acordo com as normas ISO 9001:2000, ISO 14001 e OHSAS 18001. O escritório central está localizado na cidade de Houston/Texas (EUA).

O grupo KRATON Polymers é líder mundial na produção de Borrachas Termoplásticas.

Fonte: Ass.Imprensa da Kraton

  
  

Publicado por em