Expedição para Parintins 2011 inovará na abordagem sobre sustentabilidade

Você conhece o Brasil? Já esteve na Amazônia? Agora no feriado de Corpus Christi será uma oportunidade única e diferenciada de interação com a maior floresta tropical do planeta

  
  

Você conhece o Brasil? Já esteve na Amazônia? Agora no feriado de Corpus Christi será uma oportunidade única e diferenciada de interação com a maior floresta tropical do planeta. O roteiro sugerido, nunca antes foi explorado turisticamente, envolve uma viagem de barco pelo rio Amazonas, a participação no Festival de Parintins, além da visita à uma família ribeirinha que recebe as notícias do Brasil e o mundo, exclusivamente por meio das ondas de um radinho de pilha, entre diversas outras situações enriquecedoras.

A proposta é vivenciar a sustentabilidade por meio de um olhar ampliado. Por meio da troca de experiências informais entre os participantes e as comunidades, buscar subsídios que contribuam para uma compreensão sistêmica do que é o Brasil e como a sustentabilidade é vista e aplicada mesmo sem nenhum embasamento teórico.

A viagem será conduzida por Diego Gazola, empreendedor-social da consultoria Muda de Ideia. Durante os últimos nove anos, Gazola percorreu mais de um mil municípios em 24 Estados brasileiros pesquisando comportamentos, produtos e serviços para a elaboração de conteúdos e articulações factíveis de adaptabilidade e replicabilidade em outros contextos. Suas incontáveis viagens, das metrópoles ao cafundós, somente foram viabilizadas porque ele faz parte da equipe de produção dos guias de viagem da editora Empresa das Artes. Entre obras sobre cidades, estados e países, Gazola esteve envolvido em mais de 18 publicações.

Como repórter-fotográfico, Gazola esteve na Ilha Tupinambarana em seis ocasiões. Em uma delas, por trinta dias, para a pesquisa e produção de conteúdo do Guia Parintins – Histórico, Ecológico e Cultural, lançado em 2007 pela editora Empresa das Artes.

Além do Festival, Gazola conduzirá o grupo para a visita a uma rádio que recebe recados escritos a mão e transmite ao vivo para os rincões da floresta. Também está previsto uma passagem pelos “Currais dos Bois” e nos ensaios finais e assim buscar compreender como tamanha Festa é desenvolvida no meio do “nada”. Uma expedição de barco para a uma escola ribeirinha proporcionará uma reflexão sobre como raciocina uma criança cabocla da floresta. Já a visita à usina termelétrica que abastece a cidade também será enriquecedora. Todos os meses, dois milhões de litros de petróleo chegam de balsa à Ilha.

“Sem dúvida alguma, Parintins é a cidade criativa do Brasil. Além do Festival, que exporta artistas para o Carnaval do Rio de Janeiro, a ilha esconde muitas riquezas que me levaram a querer compartilhar estas experiências. Tenho a certeza de quem participar, ampliará sua percepção sobre sustentabilidade e que nunca mais será a mesma pessoa”, afirma Gazola.

Durante a Expedição, 3% do valor pago pelos viajantes estarão reservados para ações de forma a benefíciar as comunidades locais. As definições de quando e como realizar o investimento serão tomadas coletivamente.

Video em que Diego Gazola explica a Expedição

PROGRAMAÇÃO

21 de junho(terça-feira) – Chegada a Manaus e visita guiada pelo centro e mercados às margens do rio Negro. Leia aqui o artigo escrito recentemente por Diego Gazola sobre o que fazer na cidade.

22 de junho(quarta-feira) – Embarque de barco para Parintins. 20 horas descendo o rio Amazonas. Possibilidade de hospedagem em cabines privativas e/ou redes(experiência veemente indicada!)

23 de junho(quinta-feira) – Chegada a Parintins. Hospedagem em hotel, pousada ou casa de família, em quartos privativos. Visita à comunidade ribeirinha e a noite, ida à tradicional Festa dos Visitantes que antecede o Festival.

24 de junho(sexta-feira) – Visita à rádio que apresenta o programa “Mensageiro da Amazônia”. A noite, primeira jornada do Festival. Possibilidade de assistir em cadeiras numeradas, camarote ou arquibancada.

25 de junho(sábado) – Visita aos “Currais” do Caprichoso e do Garantido. Pela tarde, ida a um dos lagos da Ilha, o Macuricanã. A noite, segunda apresentação do Festival. Possibilidade de assistir em cadeiras numeradas, camarote ou arquibancada.

26 de junho(domingo) – Café da manhã no Mercado Municipal. Degustação do famoso sanduíche de tucumã. Visita às residências de torcedores fanáticos pelos seus Bois. Em suas casas, nada tem a cor da agremiação contrária. Tarde livre. A noite, terceira apresentação do Festival. Possibilidade de assistir em cadeiras numeradas, camarote ou arquibancada.

27 de junho(segunda-feira) – Retorno de Parintins para Manaus de avião e na sequência para os respectivos destinos.

OBSERVAÇÕES:

- Número de vagas: mínimo 3 e máximo 12 pessoas.

- Investimento*: mínimo R$2.500,00, sugerido R$3.000,00 e ideal R$3.300,00

- a partir do valor mínimo, o viajante define o valor que julga pertinente para a sua experiência.

- Está incluso: Passagem de barco MAO/PIN, aéreo PIN/MAO, hospedagem em MAO e PIN, locação de barco com condutor e cadeiras númeradas pelas três noites do Festival.

- Não está incluso: seguro-viagem, passagem aérea para chegar e partir de Manaus e despesas com alimentação.

- Estes valores são válidos até o dia 31 de maio de 2011.

Video de divulgação do Festival

Video durante a produção do Guia Parintins

Mais informações: plantarei@mudadeideia.com | (11)9436-1284

Fonte: Diego Gazola - Muda de Ideia

  
  

Publicado por em