Ibama e WWF-Brasil lançaram estudo sobre efetividade de gestão em UCs

A publicação “Efetividade de gestão das unidades de conservação federais do Brasil - Implementação do método RAPPAM” foi lançada na segunda-feira, 18, durante o V Congresso Brasile

  
  

A publicação “Efetividade de gestão das unidades de conservação federais do Brasil - Implementação do método RAPPAM” foi lançada na segunda-feira, 18, durante o V Congresso Brasileiro de Unidades de Conservação, em Foz do Iguaçu (PR).

A parceria do Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis) com o WWF-Brasil promoveu o estudo que envolveu 246 unidades de conservação federais. O lançamento aconteceu no final do seminário, no qual experiências feitas no Brasil com diferentes tipos de ferramentas de avaliação de efetividade da gestão das unidades de conservação serão discutidos.

“Esse estudo representa um passo importante para o Ibama na busca de seu aperfeiçoamento gerencial e no desenvolvimento das potencialidades de unidades de conservação que administra, visando a implementação da política nacional de meio ambiente”, explica o diretor de unidades de conservação de proteção integral do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade, Marcelo Françozo, lembrando que a ação atende ao Programa de Trabalho para as Áreas Protegidas da Convenção sobre a Diversidade Biológica, que desde 2004, requer que os países signatários realizem a avaliação da efetividade do manejo de seus sistemas de áreas protegidas até 2010.

“A colaboração entre Ibama e WWF-Brasil resultou não somente em uma análise do sistema de unidades de conservação federal, como também em uma série de recomendações feitas por quem melhor conhece as áreas protegidas analisadas: seus próprios gestores”, afirma o superintendente de conservação de programas regionais do WWF-Brasil, Cláudio Maretti.

Desenvolvido pela Rede WWF, o RAPPAM (Rapid Assessment and Priorization of Protected Area Management/ Avaliação rápida e priorização da gestão de unidades de conservação) permite a avaliação rápida e priorização do manejo em unidades de conservação. O método foi implementado com a aplicação de questionários em oficinas com os gestores, funcionários e demais colaboradores das unidades avaliadas.

As respostas, analisadas por equipe técnica, resultaram na visualização e sistematização dos pontos fortes e dos pontos a serem melhorados na gestão do sistema. Na continuidade, a análise foi discutida em oficinas com os gestores das unidades de conservação, resultando em informações e recomendações para auxiliar os órgãos responsáveis na gestão do sistema e no processo de melhoria da sua efetividade.

Fonte: WWF

Del Valle Editoria

Contato: vininha@vininha.com

Site: www.animalivre.com.br

  
  

Publicado por em