Iniciativa Verde viabiliza o restauro de 82 mil mudas nativas da Mata Atlântica

No dia 10 de novembro, a partir da 9H30, a Iniciativa Verde junto aos seus parceiros, realizaram uma cerimônia de restauro, foram cerca de 82 mil mudas nativas da Mata Atlântica. Essas árvores recuperarão 50 hectares de ár

  
  

No dia 10 de novembro, a partir da 9H30, a Iniciativa Verde junto aos seus parceiros, realizaram uma cerimônia de restauro, foram cerca de 82 mil mudas nativas da Mata Atlântica. Essas árvores recuperarão 50 hectares de áreas ciliares degradadas e absorverão 15.580 toneladas de gases de feito estufa.

A cerimônia marcou o início do restauro de 2007, que acontece justamente por conta de empresas e marcas parceiras, tais como ao escritório de advocacia Pinheiro Neto, ao TIM Festival e Prêmio Tim, o laboratório farmacêutico Roche (pelo Fórum Internacional de Câncer de Pulmão), ao São Paulo Fashion Week, ao lançamento do novo Golf da montadora Volkswagen, o Grupo Caixa Seguros, as etapas do Circuito Banco do Brasil de vôlei de praia, a agência Centoeseis, a agência de pesquisa de tendência Box 1824, a loja Garimpo + Fuxique, UMA, entre outros, que acreditaram e divulgaram uma ação conjunta para um futuro mais promissor.

A Iniciativa Verde conferiu o selo Carbon Free para cerca de mais de 100 eventos e empresas durante o ano de 2007. A ONG se responsabiliza pelo calculo, plantio e monitoramento das áreas restauradas.

Após o plantio foi realizada uma manutenção intensiva do restauro por um período de dois anos, tempo que demora até que as mudas sejam auto-suficientes. Após esta etapa é realizado um monitoramento periódico por técnicos da Iniciativa Verde e agentes locais.

Este monitoramento é realizado durante todo o período de absorção de CO2e, através da metodologia para projetos florestais AR-AM0001 (Revised simplified baseline and monitoring methodologies for selected small-scale afforestation and reforestation project activities under the clean development mechanism) aprovada pelo conselho executivo da UNFCCC.

Além disso, devido ao caráter legal das áreas a serem reconstituídas (APPs) haverá fiscalização de órgãos ambientais estaduais e federais, sendo o corte das árvores considerado crime inafiançável perante a legislação ambiental brasileira.

Ao plantar as árvores de diversos projetos, neutralizados em uma única área a Iniciativa Verde viabiliza a criação de um novo segmento de floresta, o qual proporciona diversos serviços ambientais como a preservação dos recursos hídricos, solo e biodiversidade.

A nova floresta madura garantirá também a manutenção do carbono fixado por longos períodos, pois a morte de uma árvore centenária abre espaço para o crescimento de muitas outras sementes e mudas que antes
estavam dormentes.

A Iniciativa Verde é um grupo de técnicos de diferentes áreas de conhecimento que, através de uma ótica diferente, busca soluções ambientais para tornar produtos e processos produtivos menos agressivos ao meio ambiente.

Responsável pelo selo Carbon Free, a Iniciativa Verde está engajada em assuntos relativos às mudanças climáticas desde 1992. Trabalhando em muitos estudos e projetos científicos, desenvolveu projetos nacionais e internacionais de Mecanismos de Desenvolvimento Limpo (MDL) para governos, indústrias e instituições como o Banco Mundial, Banco Inter-Americano de Desenvolvimento (BIRD) e Programas de Desenvolvimento das Nações Unidas (PNUD).

As atividades do grupo são focadas principalmente em uma análise (calculo, restauro florestal e supervisão) ampla de sistemas produtivos, identificando as possibilidades para atenuar e remediar os impactos ambientais causados por estas atividades.

O trabalho:

Ajudar a neutralizar gases de efeito estufa emitidos por atividades do homem, que podem variar de processos de produções industriais até o simples ato de dirigir um automóvel, com projetos de reflorestamentos de áreas de matas ciliares que precisam ser recuperadas.

As árvores plantadas irão absorver carbono da atmosfera e propiciar também outros benefícios ambientais locais, como preservação da qualidade do ar e da água e a proteção da biodiversidade.

O restauro de áreas ribeirinhas, além de absorver carbono da atmosfera, fornece uma série de benefícios ambientais locais. O principal benefício local é a preservação dos recursos hídricos, já que estas matas servem como um “filtro” natural evitando a evaporação excessiva e o assoreamento nos cursos d´água; e a manutenção e/ou recuperação da biodiversidade local, já que as matas ciliares criam “corredores verdes” por onde as espécies podem circular, colaborando para a dispersão e conseqüente variabilidade genética destas.

Fonte: Cartaz Comunicação

Del Valle Editoria

Contato: vininha@vininha.com

Site: www.animalivre.com.br

  
  

Publicado por em

Milton

Milton

06/04/2009 10:36:00
Tudo que for feito para recuperar o que foi destroido a decadas e bem vindo por que a natureza não pode esperar e o nosso futuro e o futuro de nossas crianças esta em nossas mão e na conscientização de todos nos.