Países da região Amazônica recebem do Brasil programa de monitoramento florestal

Brasília - A secretária-geral da Organização do Tratado de Cooperação Amazônica (OTCA), Rosalía Arteaga, e o diretor substituto da Agência Brasileira de Cooperação (ABC), Edson Dua

  
  

Brasília - A secretária-geral da Organização do Tratado de Cooperação Amazônica (OTCA), Rosalía Arteaga, e o diretor substituto da Agência Brasileira de Cooperação (ABC), Edson Duarte Monteiro, entregaram hoje (1) aos sete embaixadores dos países membros da organização laptops com programas de monitoramento florestal.

A OTCA foi criada em 1995 com o objetivo de preservar o meio ambiente e promover o uso racional dos recursos naturais da Amazônia. A organização é formada por Brasil, Bolívia, Colômbia, Equador, Guiana, Peru, Suriname e Venezuela.

O que se pretende é que a partir de agora o monitoramento entre os países com presença da floresta Amazônica seja feito de forma integrada. Os programas de monitoramento foram desenvolvidos pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) como parte do projeto Agenda Comum da Amazônia, de iniciativa da OTCA.

A agenda tem por objetivo aumentar a colaboração entre o Brasil e outros países da organização, com apoio financeiro da ABC, além de elaborar projetos de sistemas de informação e de vigilância ambiental para aumentar o conhecimento sobre a Amazônia e monitorar a região.

O diretor da ABC espera que o programa melhore o monitoramento da região Amazônica. “Se cada país for cuidar individualmente de sua parte da Amazônia, teremos um resultado. Se pudermos cuidar juntos e, sobretudo, com técnicas harmonizadas, tenho certeza de que haverá o que nós chamamos de sinergia, que permitirá obter ao final uma soma de resultados que será bem maior”.

Rosalía Arteaga informou que o Brasil é o único entre os oito países-membros que tem sistemas consolidados de monitoramento. Ela citou o Sistema de Vigilância da Amazônia (Sivam) e o Sistema de Proteção da Amazônia (Sipam). “O Brasil é o país que tem monitoramento. Nos outros países temos dados, às vezes aproximados, sobre o que acontece, mas não dados muito certos. Com este sistema acho que vamos melhorar muito”.

A secretária informou que a organização tem interesse em conhecer as tecnologias do Sivam e do Sipam. “Nós esperamos que sejam (essas tecnologias) muito proveitosos para os países. Espero que os técnicos tenham acesso a esses conhecimentos e isso é muito importante, porque são cientistas que podem aconselhar os políticos sobre o que fazer”.

Os laptops entregues aos embaixadores serão enviados a sete instituições de cada país responsável pelo monitoramento da Amazônia. Os técnicos que irão lidar com os programas foram treinados ano passado durante oficinas realizadas pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais .

Segundo Rosalía Arteaga, outras três oficinas ainda serão realizadas até o final do ano. “Existe um compromisso da Agência Brasileira de Cooperação e do governo brasileiro, de que a cooperação através da OTCA com os países membros e que tem parte da Amazônia vai continuar”.

repórter: Érica Santana

Fonte: Agência Brasil

  
  

Publicado por em