PF planta árvores para compensar emissões de gases de efeito estufa

O plantio será realizado anualmente por todas as unidades da Polícia Federal de acordo com a contribuição nas emissões.As árvores plantadas serão de espécies nativas e variadas, preservando o bioma da região.

  
  

Nesta sexta-feira (22/8), a Polícia Federal inicia mais uma ação pioneira com o objetivo de reduzir o impacto ambiental resultante de suas atividades policiais e administrativas.

O Ministro da Justiça, Tarso Genro, e o Diretor-Geral, Luiz Fernando Corrêa, lançarão o Programa de Neutralização e Redução das Emissões de Carbono Resultantes das Atividades da Polícia Federal.

Para simbolizar o lançamento do Programa, Genro e Corrêa farão o plantio das primeiras árvores referentes às emissões de gases de efeito estufa no Rio Grande do Sul no ano de 2007.

Também na sexta-feira, as Superintendências da Polícia Federal em Santa Catarina, Paraná e Pará realizarão simultaneamente a plantação das árvores necessárias para a neutralização de suas emissões.

O plantio será realizado anualmente por todas as unidades da Polícia Federal de acordo com a contribuição nas emissões. As árvores plantadas serão de espécies nativas e variadas, preservando o bioma da região.

Embora a maneira mais eficiente de se fixar carbono seja a utilização de espécies de rápido crescimento, a PF optou pela utilização de espécies nativas de cada região para além de neutralizar as emissões de gases de efeito estufa, também contribuir para a recuperação de áreas degradadas e manutenção da biodiversidade.

Foram usados como base de cálculo para medição do impacto ambiental os gastos de combustíveis, papel, energia elétrica e com passagens aéreas. Ao todo, serão plantas 30.114 mudas, com a expectativa que 27.376 árvores cheguem à idade adulta e seqüestrem aproximadamente 16.103 toneladas de gás carbônico.

O plantio será realizado em parcerias com Secretarias de Meio Ambiente, escolas, associações comunitárias, universidades, empresas públicas e privadas.

Essas ações acontecerão a despeito das providências já em andamento relativas ao combate aos desmatamentos na Amazônia e às ações de redução dos gastos energéticos, como coleta seletiva de lixo para fins de reciclagem, redução no consumo de combustível por número de funcionário e construção de novas instalações com características e cuidados para a redução do consumo de energia, água e outros.

A iniciativa colocou a Polícia Federal entre os membros do Programa Brasileiro GHG Protocol – Greenhouse Gas Protocol, metodologia internacional mais usada por empresas para quantificar e gerenciar suas emissões de gases de efeito estufa.

Fonte: Ministério da Justiça

  
  

Publicado por em