Poli/USP e SAS criam centro para análise de risco no setor energético

Os riscos que o País enfrenta no setor energético, entre eles o regulatório e o ambiental, preocupam empresas e a população como um todo. Para estudar essa questão com maior profundidade e apresentar soluç&

  
  

Os riscos que o País enfrenta no setor energético, entre eles o regulatório e o ambiental, preocupam empresas e a população como um todo. Para estudar essa questão com maior profundidade e apresentar soluções que ajudem a suprir as deficiências do setor energético brasileiro, acaba de ser fechada uma parceria inédita entre a Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (Poli-USP) e o SAS Institute Inc., líder mundial em inteligência analítica de negócios.

A iniciativa prevê a criação de um Centro de Estudos em Análise de Riscos, dentro da Escola Politécnica, que terá como objetivo o desenvolvimento de pesquisas e a formação de profissionais qualificados na área de energia.

Pela parceria, a USP disponibilizará recursos humanos com profundo expertise na área de energia, entre eles professores integrantes do GEPEA - Grupo de Energia do Depto de Engenharia de Energia e Automação Elétrcicas da Poli. À SAS caberá fornecer as soluções para a criação de métodos de análise de riscos ligados ao setor.

A metodologia utilizada terá como diferencial a flexibilidade, sendo conhecida como Inteligência Analítica, capaz de aplicar modelos estatísticos avançados que possibilitam entender diversas variáveis, permitindo um maior controle e melhor previsão das operações.

A parceria abrirá espaço para a criação de uma linha de pesquisa (da qual poderão participar alunos de graduação e pós-graduação), além de cursos de treinamento, coordenados pelo GEPEA.

“A EPUSP mantém um núcleo que desde 1992 apóia a pesquisa produtiva, tentando encontrar, por meio da análise de demanda, fontes energéticas alternativas e formas de uso da energia mais eficientes. A criação do Centro de Estudos vem agregar essa busca por soluções, priorizando um aspecto importante, que é o da gestão das empresas ligadas ao setor”, diz Marco Antonio Saidel, coordenador do GEPEA.

Segundo o gerente executivo para o mercado de Energia Brasileiro do SAS, Carlos Tholt, os profissionais que utilizarem o Centro de Estudos vão contar não apenas com um software, mas com uma completa plataforma para modelagem de risco específica para a área energética.

“Enquanto os métodos convencionais permitem apenas o acompanhamento de cenários já existentes, com essa plataforma não há limites de análises, variáveis e volatilidades a serem modeladas, o que aumenta significativamente a precisão de tendência e a mensuração dos riscos envolvidos em cada operação e corporativamente na empresa”.

A atual crise no setor elétrico nacional e a necessidade de se criar soluções para evitar um colapso em dois ou três anos ilustra bem a importância da iniciativa.

“Se quisermos garantir a adequada atuação dos agentes do setor energético no País será preciso medir com antecedência os gargalos e conhecer as demandas para o delineamento de estratégias e aplicação de investimentos”, explica Saidel.

Fonte: Acadêmica Agência de Comunicação

Del Valle Editoria

Contato: vininha@vininha.com

Site: www.animalivre.com.br

  
  

Publicado por em