Prefeitura de São Paulo lança campanha para o uso de sacolas de pano

A intenção é substituir o uso de sacolas e sacos plásticos em supermercados, livrarias, padarias, lojas e outros estabelecimentos por bolsas próprias ou carrinhos, minimizando o descarte deste material na natureza. Re

  
  

A intenção é substituir o uso de sacolas e sacos plásticos em supermercados, livrarias, padarias, lojas e outros estabelecimentos por bolsas próprias ou carrinhos, minimizando o descarte deste material na natureza.

Resgatar velhos hábitos, ainda que por motivos diferentes, tem se tornado freqüente nos tempos de hoje. Nossos avós tinham o costume de fechar torneiras, apagar luzes e utilizar sacolas de pano. Esses cuidados eram motivados, em grande parte, para economia de recursos financeiros. Hoje esses hábitos estão sendo retomados por nós por um objetivo muito mais amplo: preservar os recursos naturais e o planeta em que vivemos para as futuras gerações.

A Prefeitura de São Paulo lança, no fim de agosto, uma campanha para minimizar o uso de sacolas plásticas na Cidade, ao mesmo tempo que estuda possíveis medidas legais para promover a substituição gradual das sacolas de plástico por material biodegradável. Modelos de sacolas de pano foram criados especialmente para a campanha e poderão ser usados por todos os segmentos interessados. A intenção é substituir o uso de sacolas e sacos plásticos em supermercados, livrarias, padarias, lojas e outros estabelecimentos por bolsas próprias ou carrinhos, minimizando o descarte deste material na natureza.

A adesão à campanha poderá ocorrer de variadas maneiras, desde a adoção de medidas específicas, adequadas ao segmento ao qual a empresa/instituição pertence, até a produção de sacolas de pano. O design das sacolas é cedido gratuitamente pela Secretaria do Verde, bastando ao interessado aplicar também os logos da Secretaria e do Comitê de Mudanças Climáticas ao confeccionar as sacolas. Os interessados podem também participar do desenvolvimento do material de divulgação da campanha e auxiliar na reprodução do material em larga escala. A doação de modelos de sacola também é possível.

Material informativo

A Prefeitura, através da Secretaria do Verde e do Meio Ambiente, disponibilizará material informativo sobre as ações que já são realizadas em outros locais do País e do mundo, sendo que algumas dessas boas práticas poderão ser adotadas no âmbito da Cidade. Além disso, promoverá a divulgação das ações e dos eventos desenvolvidos pelos parceiros no âmbito da campanha, mantendo banco permanente de informações. Os parceiros, por sua vez, deverão criar ferramentas e iniciativas que promovam e/ou estimulem a minimização do uso de sacolas plásticas e embalagens descartáveis, além de orientar e estimular os clientes nesse sentido por meio de ações e campanhas.

Os interessados em participar da campanha deverão entrar em contato pelos telefones 3372-2211/2232 ou enviar e-mail para svma_imprensa@prefeitura.sp.gov.br.

Movimento mundial

No mundo todo e também em diversas cidades do Brasil está em curso um movimento em prol da minimização do uso das sacolas plásticas. Desde que Alexander Parkes inventou o primeiro plástico em 1862, o material vem sendo usado em escala cada vez maior, reduzindo custos de comerciantes. Os sacos plásticos são compostos por resina sintética originada do petróleo e não são biodegradáveis, sendo difícil determinar com exatidão o tempo que levam para se decompor na natureza. Há quem defina como tempo mínimo cerca de 100 anos. No Brasil estima-se que sejam produzidas mais de 200 toneladas anuais de plástico filme.

Sacola ecológica

A preocupação com os efeitos que o descarte dos sacos plásticos causam à natureza já motivou mudanças em diversos países europeus. Na Alemanha, por exemplo, quem não carrega sua sacola própria para as compras paga taxa pelo uso de sacos plásticos disponibilizados nos estabelecimentos. A cidade de São Francisco, na Califórnia, aprovou lei proibindo grandes supermercados de distribuir sacos plásticos derivados de petróleo. Será permitida apenas a distribuição de sacos recicláveis, feitos de milho ou papel.

Outras cidades nos EUA, como Boston, Baltimore, Portland e Santa Monica, estão considerando projetos de lei semelhantes. Em Nova York, em julho deste ano, quatro estabelecimentos da rede de lojas de produtos orgânicos Whole Foods, em Manhattan, colocaram à venda 20 mil sacolas ecológicas com a inscrição “Não sou uma sacola de plástico”. Centenas de pessoas fizeram filas para comprar a sacola, que se esgotou em poucos minutos.

Na Irlanda, desde 1997 paga-se imposto de nove pennies para cada sacola de plástico. Como resultado da medida, os irlandeses passaram a ir às compras com sacolas próprias e mochilas. Estratégias semelhantes foram empregadas na África do Sul, Bangladesh, Austrália, Xangai e Taiwan. Em Macau foi promovida a campanha “Estime o nosso Planeta - use sacos ecológicos para ir às compras”, organizada pelo Conselho de Meio Ambiente com a colaboração de entidades como supermercados e livrarias, que entregava aos cidadãos que fizessem compras nas lojas conveniadas sem uso de sacos plásticos cupons para sorteio de prêmios.

fonte: Portal da Prefeitura de São Paulo

  
  

Publicado por em