Projeto de Universidade Ecológica em Embu-Guaçu propõe arquitetura ousada

No município de Embu-Guaçu, a 42 km do Centro de São Paulo, o arquiteto e urbanista Augusto (Mario) Boccara lança o projeto da Unieco, primeira universidade ecológica do País, desde sua concepção at&

  
  

No município de Embu-Guaçu, a 42 km do Centro de São Paulo, o arquiteto e urbanista Augusto (Mario) Boccara lança o projeto da Unieco, primeira universidade ecológica do País, desde sua concepção até filosofia e programa pedagógico.

Seguindo a linha ecologicamente responsável, de intensa preocupação e zelo com o meio-ambiente, o projeto Unieco, desenvolvido pelos arquitetos e urbanistas Augusto (Mario) Boccara e Roberto Righi, em parceria com empreendedores, aspira estabelecer-se como centro de estudos e pesquisa, em diversos níveis de formação, com tendência ecológica.

Da arquitetura dos prédios, localizados num terreno de 110.250,00 m² e com uma área total construída de 25.395,28 m², aos programas e serviços oferecidos pela Unieco, a premissa do projeto é a utilização de tecnologia sem provocar degradação ambiental.

“É assim que devemos realizar as instalações e é assim que pretendemos orientar nossos docentes e discentes e o que está a sua volta”, explica o arquiteto e urbanista Boccara.

“Elegemos Embu-Guaçu para receber a Universidade porque nesse município é possível viabilizar nossa premissa. Seu território possui inúmeros mananciais, assim como parte da Serra do Mar, o que indica um rico ecossistema que deve ser preservado e pode inspirar e colaborar com o exercício da pesquisa científica”, complementa o arquiteto e urbanista.

Na construção serão utilizadas soluções cinéticas e transformáveis. A ousada arquitetura prevê prédios interligados que descansam sobre 8 tanden de trem e que movimentam-se com velocidade imperceptível sobre trilhos (curvos) de desvio através de motores sincrônicos. Esta solução lhes permite formar composições sempre diferentes, que provocam paisagens visuais mutáveis. Isso quer dizer que o conglomerado, mesmo em sua órbita, poderá estar na mata, num gramado ou sobre um lago.

No mesmo terreno serão construídos a Praça das Esculturas, Centro Desportivo, Centro de Eventos, a Fundação Eco e o EcoShopping, onde serão expostos e comercializados obras e produtos ecologicamente corretos. A idéia é fazer com que parte dos recursos arrecadados com a venda dos artigos subsidie custos da Universidade, assim como colabore com o financiamento de bolsas de estudos e pesquisa.

O EcoShopping possui configuração piramidal, vigas verticais metálicas treliçadas invertidas e a cobertura é formada por quatro vitrais confeccionados com vidro fusing, representando as quatro estações do ano.

Finalmente, as dependências pedagógicas desenvolvem-se em dois níveis: dentro de geodésicas metálicas fechadas através de mármore branco, translúcido, entremeadas por vidro transparente.

Esses locais receberão cursos que diferenciam-se dos atuais por possuírem uma nova proposta educacional, com três pilares referenciais: A preservação e manutenção do meio ambiente; Recomposição do ambiente degradado e Sustentabilidade de projetos.

Após conseguir aprovação em órgãos competentes, a Unieco inicia sua construção.

Augusto (Mario) Boccara:

Graduado na Universidade Federal de Buenos Aires, Mestre em arquitetura e urbanismo pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, Augusto (Mario) Boccara fixou-se no Brasil em 1959. Aqui participou de significativos projetos e construções públicas e privadas, como a edificação da fábrica Mazzaferro em 1978, em Diadema, SP, uma das maiores fábricas da região metropolitana.

Muito respeitado e requerido no mundo, desenvolveu projetos arquitetônicos e urbanísticos também na Argentina, Bolívia, Canadá, Espanha, Estados Unidos, Itália e recentemente nos Emirados Árabes Unidos, onde realizou diversos projetos, entre os quais os Edifícios Móbile e Medusa, para a cidade de Abu Dhabi.

É idealizador do conceito “superarquitetura”, no qual incorpora os conhecimentos de diversas áreas e a alta tecnologia nos projetos. Por seus trabalhos recebeu prêmios, entre eles, em 2007 o de “Arquiteto Destaque” da Academia Francesa de Artes, Ciências e Letras. Hoje em dia concentra-se especialmente na construção da Unieco.

Roberto Righi:

Arquiteto e urbanista, Doutor pela Universidade de São Paulo, Roberto Righi contribuiu para o desenvolvimento do curso de arquitetura e urbanismo da própria USP e da Universidade Presbiteriana Mackenzie, onde foi diretor, chefe de departamento, fundador e coordenador da pós-graduação.

Sua técnica e profundo conhecimento lhe renderam muitos convites para ministrar cursos e palestrar em outras universidades nacionais e estrangeiras. Ao longo de sua carreira realizou trabalhos junto ao poder público e atualmente ministra aulas nos cursos de graduação, mestrado e doutorado na USP e Mackenzie, nas faculdades de Arquitetura e Urbanismo.

Fonte: Infato

Del Valle Editoria

Contato: vininha@vininha.com

Site: www.animalivre.com.br

  
  

Publicado por em

Lucelio Costa

Lucelio Costa

25/11/2011 13:46:49
As superarquiteturas é realmente a criação de novos paradigmas nas construções civis. A sustentabilidade com desnvolvimento não é um simples paradoxo, é o futuro ecologicamente equilibrado. Atualmente em várias cidades do mundo árabe e asiático, são estes projetos que atraem novos investimentos, um novo olhar que busca nas suas llinhas arquitetônicas não só a modernidade mas tambem aumentam o fluxo turístico e grandes eventos.

Reinaldo lima

Reinaldo lima

01/08/2009 14:56:33
Parabens aos organizadores desse projeto, Embu-guaçu daria um salto grande no desenvovimento da cidade com essa universidade é isso que cidade precisa!!!!! gostaria de conhecer melhor esse projeto sou vice-presidente da associação de moradores Embu-guaçu em ação

Rosana

Rosana

01/02/2009 23:19:43
A idéia realmente é maravilhosa, tão maravilhosa quanto Embu Guaçu, sou apaixonada por essa cidade, sinto que é necessario investir em educação, principalmente a ambiental, por absoluta ignorância, alguns moradores acreditam ser mais negocio prender um passaro a troco de nada, do que estimular que esse se multiplique em nossos quintais,cortar uma palmeira sem nem ao menos pensar quanto tempo ela demorou para chegar naquele tamanho, realmente seria ótimo, principalmente se a universidade oferecesse palestras e praticasse projetos com crianças e moradores da região. Parabéns era o que estava faltando.

Rosana de oliveira

Rosana de oliveira

08/01/2009 17:38:36
Acho a ideia maravilhosa.Moro na região e gostaria de ingressar nesta faculdade

Luiz charbel

Luiz charbel

25/11/2008 02:41:47
Um projeto ecologicamente correto,respeitando o meio ambiente,a Unieco e o que falta para o terceiro milenio,e o que precisa urgente no Guaruja para conscientizar a populaçao da Mata Atlantica, a respeitar com planejamento o que e sustentavel ecologicamente para o Brasil e o mundo. Boccar meu amigo Mario que pena que nos distanciamos,pena ,estavamos no projeto juntos e nessa ilha maravilhosa aguardo um contato admiravel amigos. luiz charbel

Sabrina

Sabrina

22/09/2008 14:23:10
Amei a idéia!!!!! Sou moradora de Embu-Guaçu e sei que aqui tem tudo pra essa universidade dar certo! Parabéns aos idealizadores!

Regina Morais

Regina Morais

20/09/2008 17:54:25
Acho a idéia maravilhosa! Moro na região e realmente é linda. Gostaria de saber mais sobre a UNIECO. Parabéns aos criadores da idéia e espero que em breve o projeto se realize.