TNC restaura 5 mil hectares de Mata Atlântica com o plantio e proteção de 8 milhões de mudas nativas

A ONG apresenta os resultados de seus esforços, do último ano, em restauração em larga escala em seis estados do Bioma mais ameaçado do Brasil

  
  

A ONG TNC (The Nature Conservancy) apresenta o resultado de seus trabalhos de restauração em áreas prioritárias para a conservação da biodiversidade, realizados no último ano, em seis dos 17 estados que compõem o bioma Mata Atlântica. São eles, Bahia, Espírito Santo, Minas Gerais, Paraná, Rio de Janeiro e São Paulo. Essa iniciativa resultou mais de cinco mil hectares em processo de restauração, estimulando o desenvolvimento de mais de oito milhões de árvores nativas da Mata Atlântica.

Para um melhor acompanhamento do trabalho em campo, as equipes de Ciência e Restauração da ONG desenvolveram um sistema capaz de identificar geograficamente as áreas em restauração um protocolo de monitoramento capaz de avaliar a evolução do processo de restauração. Por meio dessa metodologia é possível registrar e avaliar o desempenho de cada área, o número de indivíduos por hectare, respectiva altura média, bem como as principais espécies que ocorrem em cada local.

“O sistema e o protocolo de monitoramento nos garante segurança em mostrar os resultados obtidos no chão, além disso, permitem avaliar quais ações de restauração estão obtendo melhor resultado no campo e indicam ações complementares necessárias para obter melhores resultados. No último ano superamos nossa meta em 34%, no próximo a nossa expectativa é atingir o número de 10 milhões de árvores. Com as lições aprendidas e registradas pelos projetos em curso, acreditamos que nosso grande objetivo de promover o desenvolvimento de 1 bilhão de árvores nativas na Mata Altantica até 2020 está mais próximo e factível”, comemora Aurélio Padovezi, coordenador de Restauração da TNC.

Com as informações organizadas pelo sistema, a TNC começa a quantificar áreas em processo de restauração em áreas prioritárias, seguindo padrões do Ministério do Meio Ambiente (MMA) que definem as áreas prioritárias para a conservação e restauração da biodiversidade. Durante esse processo, também será avaliado se as áreas em restauração estão inseridas em região de manancial para abastecimento de populações, em áreas elegíveis para projetos de absorção de carbono, ou ainda se estão dentro ou próximas de Unidades de Conservação (UCs), tornando-as importantes para a criação de corredores ecológicos de biodiversidade.

Pacto pela Restauração da Mata Atlântica
Com toda essa expertise, a TNC tem contribuído significativamente com o Pacto pela Restauração da Mata Atlântica – um esforço inédito de aproximadamente 200 organizações ambientais, empresas e poder público para promover a restauração de 15 milhões de hectares até 2050 do bioma. Até hoje cerca de 40 mil hectares, em restauração ou a serem restaurados, foram cadastrados pela iniciativa.

Sobre a TNC
A TNC é uma organização não governamental que desenvolve projetos de conservação em mais de 35 países. Atuando no Brasil desde 1988, a organização tem a missão de proteger plantas, animais e ecossistemas naturais, protegendo os recursos necessários à sua sobrevivência. Desenvolve iniciativas nos principais biomas brasileiros (Amazônia, Mata Atlântica, Cerrado, Pantanal e Caatinga), com o objetivo de compatibilizar o desenvolvimento econômico e social com a conservação dos ecossistemas naturais.

No programa de conservação para a Mata Atlântica e Savanas Centrais, estabelece parcerias com os diversos setores da sociedade a fim de proteger e restaurar áreas prioritárias dentro desses biomas. Atualmente, a organização e seus mais de um milhão de membros ajudaram a proteger 130 milhões de hectares em todo o mundo. Para mais informações, acesse: www.nature.org/brasil.

Fonte: Lead Comunicação

  
  

Publicado por em