Governo do Estado planeja novas ações para diminuir o número de queimadas no Ceará

Técnicos pretendem capacitar agricultores, por meio de cursos a serem realizados prioritariamente nas regiões do Sertão Central, Inhamuns e Centro Sul.

  
  

Técnicos do Conselho de Políticas e Gestão do Meio Ambiente (Conpam), da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Ematerce), da Secretaria do Desenvolvimento Agrário (SDA) e da Superintendência Estadual do Meio Ambiente (Semace) estiveram reunidos ontem (04), na sede do Conpam, para planejar ações que diminuam o número de focos de calor no Ceará em 2009, em virtude do crescente número de queimadas identificadas no estado nos últimos dois anos.

Para tanto, dentro de outras soluções, os técnicos pretendem capacitar agricultores, por meio de cursos a serem realizados prioritariamente nas regiões do Sertão Central, Inhamuns e Centro Sul, através de atividades previstas também no Programa Estadual de Prevenção, Monitoramento, Controle de Queimadas e Combate aos Incêndios Florestais (Previna), no que tangem às atividades relativas ao uso alternativo do solo e do fogo controlado.

Conteúdo Programático

De acordo com os técnicos, o conteúdo programático do curso constará de orientações sobre licenciamento ambiental, bem como de agroecologia, conhecida por agricultura alternativa, que, além de incentivar a produção de alimentos mais saudáveis através do uso racional dos recursos naturais, tem o conceito de um modelo tecnológico abrangente, que seja socialmente justo, economicamente viável e ecologicamente sustentável.

Ao usar da palavra, o técnico do Ibama responsável pelo PrevFogo, Kurtis François, destacou o início do trabalho realizado pelo Previna, em 2003, e detalhou o processo de monitoramento, feito via satélite, do Programa. Segundo ele, a aparelhagem dispõe de sensores que identificam, por meio de raios infravermelhos, as temperaturas terrestres superiores a 147ºC, que indicam que naquela determinada área existem focos de calor.

Por sua vez, a presidente do Conpam, Tereza Farias, alertou que os municípios que reduzirem as queimadas em seus territórios, terão valorização na pontuação do Programa Selo Município Verde, como forma de incentivo às ações de proteção ao meio ambiente. Tereza ainda ressaltou a importância de proteger-se a caatinga, que “é bioma mais afetado por conta de suas características naturais, que permitem altas temperaturas no solo e baixa umidade do ar, e antrópicas, com presença de grande número de agricultores que praticam queimadas, facilitando e contribuindo para a ocorrência de incêndios".

Assessoria de Imprensa do Conpam:

Pedro Gomes de Matos(pedrogomesdematosneto@conpam.ce.gov.br -9984.4440 / 3101.1234)

Fonte: Governo do Estado do Ceará

  
  

Publicado por em