Processo de degradação no Morro do Camelo em Analândia preocupa ambientalistas

Quem conhece Analândia ou já esteve escalando no Cuscuzeiro já deve ter também conhecido o Morro do Camelo, que é um dos cartões postais da cidade e possui vias abertas pelo Maurício `Tonto` Clauzet. Tamanha beleza, que está há 1h de Ribeirão Preto, ho

  
  

Quem conhece Analândia ou já esteve escalando no Cuscuzeiro já deve ter também conhecido o Morro do Camelo, que é um dos cartões postais da cidade e possui vias abertas pelo Maurício `Tonto` Clauzet.

Tamanha beleza, que está há 1h de Ribeirão Preto, hoje é ameaçada pela grande degradação ambiental e cada vez mais o local está se tornando um depósito de lixo vindo da `farofada` que acampa lá.

Não há nenhum controle de visitação ou nenhum projeto de manejo, e para os que já conhecem o cuscuzeiro, há um trabalho que está sendo feito pelo proprietário Sr. Odair,que criou uma infra-estrutura de visitação onde é cobrada uma taxa de R$ 3,00 para ter acesso à pedra e um banco de dados está sendo montado com fichas e dados de todos que freqüentam o local, inclusive escaladores.

Para se ter uma idéia, o morro do Camelo está sofrendo um processo de degradação ambiental e erosivo bem significativo inclusive nas trilhas e em alguns pontos da suas encostas também.

Os famigerados `farofeiros` que acampam na área (que não tem nenhuma infra-estrutura para camping) estão arrancando árvores verdes e cercas do local para as fogueiras, e inclusive fazendo-as nas encostas dos `boulders` (blocos de rocha onde se pratica a escalada livre). O processo de degradação está crescendo a cada dia, e é bem visível também nas pichações da área dos boulders.

A ONG Pau Brasil , situada em Ribeirão Preto –SP, juntamente com freqüentadores do local, sensibilizados pela causa, realizarão um trabalho cujo objetivo inicial será de convocar a Promotoria Ambiental da Região para o agendamento de uma audiência com o proprietário da área para tentar um acordo.

Os integrantes da ONG e voluntários sairão em
busca de recursos do Governo do Estado (pela área ser tombada por uma APA) e de iniciativas privadas, com o objetivo de organizar mutirões para a recuperação da área degradada e a criação de uma guarita de controle de acesso (como ocorre hoje no cuscuzeiro) consistindo na arrecadação de fundos que ajudarão a promover o turismo sustentável da região, e principalmente a preservação da área do Morro do Camelo.

Além disso, será organizado um mutirão de plantio de mudas de espécies nativas no Morro do Cuscuzeiro, com voluntários da ONG e neste dia algumas autoridades ambientais estarão
presentes proferindo palestras sobre Educação Ambiental e inscrevendo novos voluntários colaboradores para a ONG, que darão início à comissão de frente para a proteção da área. Também serão levantados meios para a inauguração de uma sede filiada na cidade.

Fonte: komunikacao

  
  

Publicado por em