Serra veta lei que exigia uso de sacola `ecológica´

Tucano vê risco com compostos que aceleram decomposição O GOVERNADOR de São Paulo, José Serra (PSDB), vetou a lei que obrigava estabelecimentos comerciais do Esta do a oferecer sacolas “ecológicas”.

  
  

Tucano vê risco com compostos que aceleram decomposiçãoO GOVERNADOR de São Paulo, José Serra (PSDB), vetou a lei que obrigava estabelecimentos comerciais do Esta do a oferecer sacolas “ecológicas”.

A proposta faria com que esses comércios, como supermercados e vendas, tivessem de substituir, em um ano, as sacolinhas oferecidas aos clientes pelo modelo biodegradável, que teria uma decomposição mais rápida – em vez de 200 a 450 anos, seriam 60 dias.

O governo diz que o plástico biodegradável é uma espécie de ilusão. Apesar de “sumir” mais rápido a olho nu, seus componentes seguiriam no ambiente por muitos anos. E ainda teria compostos químicos agressivos, que são adicionados ao plástico exatamente para acelerar seu “sumiço”.

Projeto semelhante aprovado por vereadores para a cidade de São Paulo já havia sido vetado pelo prefeito Gilberto Kassab (DEM).

O veto do governador, no entanto, pode ser derrubado pelos mesmos deputados estaduais que aprovaram a lei no começo do mês. Se isso acontecer, os comerciantes serão obrigados a adotar o plástico biodegradável.

A gestão José Serra defende que a reciclagem é uma das saídas ao lixo produzido – em São Paulo, 18% dos rejeitos são plásticos.

Deputado do PT citava tempo rápido de decomposição

No projeto de lei aprovado, o deputado Sebastião Almeida (PT) citou preocupações com o aquecimento global e o tempo de decomposição do plástico – de 200 a 450 anos.

A sacola biodegradável é consumida em 60 dias. O petista dizia também que o país produz 210 mil toneladas de plástico ao ano, 10% de todo o lixo gerado.

fonte: PubliMETRO

  
  

Publicado por em