Amapá terá programa de conservação de carnívoros

O Cenap - Centro Nacional de Pesquisas para a Conservação de Predadores Naturais do Ibama - Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis realizará no Amapá o Programa de Manejo e Conservação de Carnívoros. O primeiro passo

  
  

O Cenap - Centro Nacional de Pesquisas para a Conservação de Predadores Naturais do Ibama - Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis realizará no Amapá o Programa de Manejo e Conservação de Carnívoros.

O primeiro passo é a realização de um curso de capacitação para 30 técnicos do Ibama, órgão estadual de meio ambiente e ONGs do estado.

O curso acontece em Macapá até hoje, sexta-feira (29/4) e treinará os técnicos para atuarem na identificação, controle e prevenção de casos de predação de animais domésticos por carnívoros.

Com grandes áreas protegidas, inclusive o segundo maior parque de floresta tropical contínua do mundo, o Tumucumaque, o Amapá registra diversos casos de predação de rebanhos domésticos por onças e outros animais silvestres.

Para defender os rebanhos, os fazendeiros e proprietários rurais muitas vezes matam os predadores sem saber que estão causando danos ao equilíbrio ambiental em suas regiões.

“Com a capacitação de técnicos para atender a esses casos e dar orientações corretas aos proprietários, o Cenap está ajudando a estabelecer no Amapá uma nova relação entre os humanos e os predadores naturais”, afirma Rogério Cunha, responsável pelo treinamento.

Segundo ele, a partir de regras simples e orientações técnicas já testadas com sucesso em outras regiões do Brasil e de outros países, é possível criar um modo de convivência sem prejuízo aos produtores rurais e também à natureza.

Cada predador natural abatido é um dano ambiental que pode ter conseqüências negativas diretas para as populações humanas. Representantes do topo da cadeia alimentar, os predadores ajudam a controlar populações de animais, como os roedores, por exemplo.

Onças :

Animais territorialistas, os onças precisam de grandes espaços para sobreviver e encontrar alimentos. Sem alternativa, muitas vezes as onças procuram alimentação junto aos rebanhos, estabelecendo, sem saber, um conflito que pode colocá-las em risco.

O excesso de aproximação associado à destruição dos habitats naturais colocaram as onças entre os animais ameaçados de extinção.

A escassez de comida nas matas, reflexo do desequilíbrio ambiental, leva os predadores para muito próximo dos humanos. Mesmo assim eles não representam perigo para a vida humana, garantem os especialistas. Segundo eles, as onças são animais arredios e só se aproximam em casos excepcionais.

Se os conflitos não puderem ser resolvidos com as medidas de precaução, o Cenap pode interferir e até mesmo fazer a translocação dos predadores. As denúncias sobre os casos de predação em qualquer parte do território nacional devem ser feitas pelo telefone 11 4411 6633.

Fonte: Ibama

  
  

Publicado por em