Amendoim resistente a vírus e menos alérgico começa a ser testado

O amendoim geneticamente modificado resistente a vírus desenvolvido na Índia, pelo Instituto Internacional de Pesquisa Agrícola para os Trópicos Semi-Áridos (ICRISAT - International Crops Research Institute for the Semi-Arid Tropics), já está em fase de t

  
  

O amendoim geneticamente modificado resistente a vírus desenvolvido na Índia, pelo Instituto Internacional de Pesquisa Agrícola para os Trópicos Semi-Áridos (ICRISAT - International Crops Research Institute for the Semi-Arid Tropics), já está em fase de testes de campo e deve estar pronto para comercialização entre dois e três anos.

A nova variedade possui genes que lhe conferem resistência a um vírus chamado PCV, transmitido pelo fungo Polymyxa gramminis, que vive no solo. O vírus causa atrofia das plantas e descoloração das folhas, gerando perdas de até US$ 40 milhões na produção mundial de amendoim.

Até hoje não foi encontrada uma maneira eficaz de combate à doença: o fungo tem alta persistência no solo e o melhoramento genético convencional, neste caso, não é possível, uma vez que não existem genotipos resistentes de amendoim.

Os testes preliminares realizados com a variedade transgênica mostraram ganhos de produtividade 30% superiores aos do amendoim convencional.O ICRISAT utilizou genes pesquisados pelo Instituto Escocês de Pesquisa Agrícola, do Reino Unido. Além do amendoim, também desenvolve grão-de-bico e sorgo geneticamente modificados.

Sem alergia :

Outra variedade de amendoim geneticamente modificado está sendo pesquisada na Universidade de Arkansas, nos Estados Unidos. Os pesquisadores estão fazendo modificações genéticas na leguminosa para torná-la menos alergênica.

O amendoim faz parte do grupo de oito alimentos responsáveis por 90% das alergias no mundo. Calcula-se que uma em trinta crianças sofre de alergia ao amendoim, que pode levar à morte.

Fonte: ICRISAT

  
  

Publicado por em