Aquecimento global impulsiona transporte marítimo no Ártico

Derretimento da calota polar pode liberar rotas marítimas na região Por Deborah Zabarenko, correspondente de Meio Ambiente HANOVER (Reuters) - O aquecimento global, acusado de derreter o 'habitat' glacial dos ursos polares no &

  
  

Derretimento da calota polar pode liberar rotas marítimas na região

Por Deborah Zabarenko, correspondente de Meio Ambiente

HANOVER (Reuters) - O aquecimento global, acusado de derreter o 'habitat' glacial dos ursos polares no Ártico, pode impulsionar a indústria de petróleo e de transporte marítimo no Norte do globo, de acordo com um novo relatório norte-americano.

A dramática redução em gelo do mar acima do Círculo Polar Ártico significa que rotas de navegação previamente impenetráveis poderão agora ou em breve serem abertas por grande parte do ano, afirmou a Comissão de Pesquisas no Ártico dos Estados Unidos em um relatório divulgado na semana passada, em encontro de cientistas em Hanover.

"A diminuição do gelo do mar no Oceano Ártico está transformando ecossistemas, mais conspicuamente para os ursos polares", disse o relatório da comissão preparado para o presidente George W. Bush e para o Congresso.

"Isso também cria acesso sem precedentes para navios que irão trazer pessoas para o Norte, e irá encurtar significativamente as rotas de transporte marítimo globais", afirmou.

A diferença de custo é dramática, segundo Mead Treadwell, o presidente da comissão. O custo estimado de transporte marítimo de um contêiner entre o Norte da Europa e o Alaska é de cerca de 500 dólares. A mesma carga entre a Europa e o porto de Yokohama, pelo canal de Suez, custa em torno de 1.500 dólares.

O relatório bienal deve orientar o curso dos próximos dois anos, coincidindo com as pesquisas do Ano Polar Internacional.

Com o aquecimento global atingindo dos pólos mais severamente e mais cedo do que o resto do mundo, o Ano Polar e o relátorio da comissão enfocam o impacto das mudanças climáticas, atribuídas às atividades humanas, incluindo o uso de combustíveis fósseis.

RISCOS DE DERRAMAMENTO

Além de navegação, menos gelo no mar também significa um acesso mais fácil para a exploração de de petróleo e gás. Com o aumento da prospecção, há também um aumento no risco de derramamentos, aumentando a necessidade de novas tecnologias, segundo Treadwell.

"Haverá a oportunidade e necessidade para mudanças nos padrões de engenharia", disse Treadwell. "Limpar óleo do gelo é um trabalho muito difícil."

As agências de pesquisa norte-americanas também deverão examinar a saúde humana no Ártico, infraestrutura civil, recursos naturais, ciência da Terra, línguas da região, cultura e identidade, segundo a comissão.

Fonte: REUTERS Brasil

  
  

Publicado por em