Desmontado esquema criminoso no Parque Nacional da Tijuca, no Rio

Gerusa Barbosa A Polícia Federal, com o apoio do Ibama, desarticulou uma quadrilha que atuava no desvio de recursos da cobrança de ingressos no Parque Nacional da Tijuca - Monumento Cristo Redentor -, no Rio de Janeiro. Pelos c&aacut

  
  

Gerusa Barbosa

A Polícia Federal, com o apoio do Ibama, desarticulou uma quadrilha que atuava no desvio de recursos da cobrança de ingressos no Parque Nacional da Tijuca - Monumento Cristo Redentor -, no Rio de Janeiro. Pelos cálculos da PF, utilizando critérios dos mais conservadores, eram desviados R$ 300 mil, por mês. A quadrilha se apoderava de 90% da arrecadação da bilheteria. A Operação, denominada Iscariotes, foi divulgada na manhã desta quinta-feira (10/5), na sede da Superintendência da PF, no Rio, em entrevista coletiva da ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, e do diretor-geral da PF, Paulo Lacerda. Também participaram o superintendente do Ibama no Rio, Rogério Rocco, e o secretário Nacional de Segurança Pública, Luis Fernando Corrêa.

Os envolvidos são funcionários das empresas de cobrança dos ingresso (Trade- Rio) e de Vigilância (Juiz de Fora), contratadas por licitação pelo Ibama. Também participavam do esquema policiais militares do Batalhão de Turismo e funcionários da empresa de turismo Jeep Tour. Todos dividiam parte da verba arrecadada pela cobrança dos bilhetes para entrada no parque.

Atualmente, a tarifa é de R$ 5 por carro mais R$ 5 por cada ocupante do veículo. A partir de hoje está suspenso o acesso de carros particulares àquela Unidade de Conservação. O Ibama implementará um novo sistema de cobrança, que deverá ser feito por meio de catraca, e de acesso com uso de Vans. Nos próximos meses deverá ser concluída a licitação para nova contratação. No momento, o acesso ao Parque será apenas pelo trem do Corcovado ou a pé. Até a licitação, o Ibama colocará um sistema de transporte alternativo.

Até o final da manhã de hoje, foram presas 20 pessoas dos 23 mandados de prisão expedidos pela Justiça. Foram mobilizados para desmonte da quadrilha 125 agentes federais, dois analistas ambientais do Ibama e 50 soldados da Força Nacional de Segurança Pública do Rio. As investigações duraram cerca de um ano. Segundo a PF, o esquema criminoso existe há pelo menos dois anos, mas há relatos de desvios de arrecadação no Parque desde os anos 90.

Segundo informou a ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, esta é 18ª operação conjunta do MMA/Ibama e Polícia Federal e a segunda no Rio de Janeiro. "Já foram presas 560 pessoas envolvidas em crimes ambientais e desmontadas nos últimos quatro anos 1,5 mil empresas criminosas. Desde 2003, o MMA vem desenvolvendo um trabalho de inteligência com a PF para coibir a contravenção. O combate à contravenção no parque representa mais segurança e estabilidade para os visitantes e que o Cristo, que não é só do Rio de Janeiro, mas de todos os brasileiros, possa ser cada vez mais vitiado", disse Marina.

A ministra informou que há quatro anos e cinco meses, o MMA vem trabalhando no combate à corrupção no setor ambiental. Ela informou que a operação no Parque ocorre em um momento de agenda de revitalização daquela Unidade de Conservação, que começou com a ampliação de 23% de sua área, e pela modernização da cobrança pela visitação. Ela disse esperar que a operação contribua para a eleição do Cristo Redentor como uma das Sete Maravilhas do
Mundo.

Na tarde desta quinta-feira, a ministra se reúne na sede do Jardim Botânico do Rio com os secretários de Meio Ambiente e de Turismo do estado e do município do Rio de Janeiro, com o comando da Polícia Militar, Polícia Federal, Associação dos Amigos do Parque Nacional da Tijuca, Fundação Roberto Marinho, Ibama e Instituto Chico Mendes para conversar sobre a Operação Iscariotes e os escaminhamentos que serão dados para Visitação do Parque.

Fonte: Ministério do Meio Ambiente

  
  

Publicado por em