Estado do Acre tem nova unidade de conservação ambiental

O longo processo de criação da UC contou com o apoio técnico e financeiro do WWF-Brasil e é resultado da demanda da própria população local que indicou a proteção da área como essencial.

  
  

O governador do Estado do Acre, Binho Marques, assinou, no último sábado, dia 4, o decreto de criação da Área de Relevante Interesse Ecológico Japiim-Pentecoste. A recém-criada unidade de conservação (UC) está localizada no município de Mâncio Lima e possui mais de 25 mil hectares que abrangem uma expressiva extensão de várzea na bacia dos rios Moa e Japiim, afluentes do rio Juruá. O longo processo de criação da UC contou com o apoio técnico e financeiro do WWF-Brasil e é resultado da demanda da própria população local que indicou a proteção da área como essencial.

A partir dos dados gerados pelo Zoneamento Ecológico Econômico do Acre (ZEE/AC), finalizado em 2000, foi identificada a importância da região do rio Juruá e exaltada a diversidade da fauna e flora no local. Após quase cinco anos, a própria população reafirmou a necessidade de proteção dessa área por meio da construção da Agenda 21 Local do município de Mâncio Lima e passou a reivindicar a criação da Unidade de Conservação Ambiental Estadual Japiim-Pentecoste, na modalidade de Área de Relevante Interesse Ecológico Estadual do Acre (ARIE).

O WWF-Brasil está envolvido com esse processo desde 2006, quando firmou uma parceria de cooperação técnica e financeira com a Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Recursos Naturais do Acre (Sema/AC). Foram muitas as ações em conjunto nesse período, entre expedições para reconhecimento ecológico da área, estudos para levantamento fundiário e oficinas e reuniões de sensibilização com associações de moradores e colônia de pescadores.

A nova área natural protegida acreana consolida o corredor ecológico formado pelo Parque Nacional da Serra do Divisor, Reserva de Desenvolvimento Sustentável São Salvador e terras indígenas Nukini, Naua e Poyanawa. Também vai proteger cerca de 40% do território de Mâncio Lima.

Segundo Aparecida Lopes, coordenadora de Áreas Protegidas da Sema/AC, após a publicação do decreto no Diário Oficial do Estado do Acre, os próximos passos, que também contarão com o apoio do WWF-Brasil, são a criação do Conselho Gestor e do Plano de Manejo, que vão definir a forma de utilização dos recursos naturais da unidade de conservação.

Importância ecológica e socioeconômica

Além de abrigo para atributos naturais e cênicos muito característicos e para várias espécies da fauna e flora amazônica, a ARIE Japiim-Pentecoste é região estratégica de recarga de aqüíferos nas bacias dos rio Moa, Japiim e Juruá. Estudos botânicos identificaram três espécies de orquídeas desconhecidas para a ciência. Também foram encontradas 41 espécies de peixes pertencentes a 33 gêneros e 17 famílias.

Na ARIE foram identificadas várais de espécies de mamíferos que estão na lista das espécies da fauna brasileira ameaçadas de extinção, como o macaco-aranha (Ateles chamek); onça (Pantera onca), a ariranha (Pteronura brasiliensis), o tatu-canastra (Priodontes maximus) e a lontra (Lontra longicaudis). O tracajá (Podocnemis unifilis) e o jabuti (Geochelone denticulata e Geochelone carbonaria) também habitam este cenário a correm risco de serem extintos.

Além disso, a partir de dados de um estudo socioeconômico realizado pelo Instituto de Meio Ambiente do Acre (Imac), foi possível identificar que a área possui forte potencial para manejo de produtos florestais não-madeireiros como sementes, óleos e frutos. O estudo identificou ainda baixa ocupação humana e apontou a promoção de atividades turísticas e pesqueiras como alternativas econômicas sustentáveis para a região.

O que é uma Área de Relevante Interesse Ecológico (ARIE)?

Segundo Sistema Nacional de Unidades de Conservação (SNUC), uma Área de Relevante Interesse Ecológico constitui o grupo das unidades de conservação de uso sustentável definida como uma área de pequena extensão, com pouca ou nenhuma ocupação humana, com características naturais extraordinárias ou que abriga exemplares raros da biota regional. Os objetivos de uma ARIE são manter os ecossistemas naturais de importância regional ou local e regular o uso admissível dessas áreas, de modo a compatibilizá-la com os objetivos de conservação da Natureza.

Fonte: WWF

  
  

Publicado por em