Estrada do Colono que corta o Parque Nacional do Iguaçu deve ser reintegrada

A juíza Sílvia Regina Salau Prollo, titular da 1.ª Vara Federal de Foz do Iguaçu, acatou o pedido da Procuradoria Federal Especializada do Ibama e determinou a reintegração de posse da Estrada do Colono, área de 17,6 quilômetros que corta o Parque Naciona

  
  

A juíza Sílvia Regina Salau Prollo, titular da 1.ª Vara Federal de Foz do Iguaçu, acatou o pedido da Procuradoria Federal Especializada do Ibama e determinou a reintegração de posse da Estrada do Colono, área de 17,6 quilômetros que corta o Parque Nacional do Iguaçu.

O local foi ocupado na madrugada de sábado (4/10) por cerca de 500 moradores de Serranópolis do Iguaçu, no Oeste do Estado, e Capanema, no Sudoeste. Com o uso de máquinas, eles destruíram instalações do Ibama e derrubaram, pelo menos, 18 quilômetros de florestas.

A liminar determina que a PF - Polícia Federal proceda o cumprimento do mandado de reintegração da área, contando com o apoio da Polícia Militar na ação de desocupação.

A juíza determinou ainda que as Polícias Rodoviárias Estadual e Federal montem barreiras nas estradas de acesso ao parque com o objetivo de impedir que as pessoas cheguem até o local.

A operação também deve contar com o apoio logístico do Exército e da Marinha. O Diretor Geral do Departamento de Polícia Federal, Paulo Lacerda, aceitou o pedido da juíza e autorizou neste domingo (5/10) o deslocamento de efetivo de outros estados para Foz do Iguaçu.

Segundo o agente federal Marcos Koren, assessor de comunicação social da PF, uma reunião para unificação de informações foi realizada neste domingo na delegacia, com a participação de quatro delegados, representantes do Ibama e o comandante do 14.º Batalhão de Polícia Militar.

`Vamos aguardar a chegada do reforço policial e somente vamos concretizar a ação de desocupação após a definição de um planejamento logístico-operacional`, afirma Koren.

De acordo com a assessoria da PF, a operação da polícia deverá acontecer nas próximas horas porque a demora poderia causar danos ambientais.

Recurso

A comissão organizadora do movimento que planejou a ocupação promete recorrer na segunda-feira (6/10) da decisão da juíza federal. Os líderes da manifestação devem apresentar um recurso no TRF - Tribunal Regional Federal, em Porto Alegre (RS). O pedido será de decisão em caráter de urgência.

`Vamos continuar lutando em defesa da abertura da estrada e temos esperança que a justiça nos conceda o direito de uso deste caminho aberto há mais de 60 anos`, diz o agricultor Luiz Carlos da Silva, 50 anos, um dos integrantes da comissão pró-estrada. No caso de uma decisão favorável aos manifestantes, o Ibama ainda pode recorrer a instâncias superiores.

Desde 1986, o Parque Nacional do Iguaçu é considerado pela Unesco como Patrimônio Natural da Humanidade. Nele estão contidas as famosas cataratas do Iguaçu. De acordo com nota divulgada pelo Ibama, se for efetuada, a reabertura da Estrada do Colono pode provocar, além do prejuízo ambiental, a perda do status de Patrimônio da Humanidade.

Prisão Preventiva

O Ministério Público Federal deve solicitar ainda nesta segunda-feira o mandado de prisão preventiva contra todos os invasores que forem identificados na Estrada do Colono. A solicitação deverá incluir ainda lideranças políticas.

Segundo informações do agente federal Marcos Koren, assessor de comunicação social da PF, todos deverão ser acusados por crimes de danos ao patrimônio público da União, danos ambientais e desobediência à ordem judicial.

Fonte: Ibama

  
  

Publicado por em

Luana

Luana

07/10/2008 16:17:49
eu acho que a estrada do colono poderia muito bem estar aberta .......................