Itatiaia: 70 anos em forma

O Parque Nacional mais antigo do País quer virar modelo de gestão ambiental Natália Zonta Luis Moraes/Divulgação http://www.estadao.com.br/banco/img/livre/2007/06/442007061212361415parque.jpg A expedi&cc

  
  

O Parque Nacional mais antigo do País quer virar modelo de gestão ambiental

Natália Zonta

Luis Moraes/Divulgação

http://www.estadao.com.br/banco/img/livre/2007/06/442007061212361415parque.jpg

A expedição no Parque Nacional mais antigo do País vai de caminhadas leves à difícil escalada do Agulhas Negras

SÃO PAULO - Há 70 anos - comemorados na quinta-feira - era inaugurado o Parque Nacional do Itatiaia, o primeiro do Brasil. A partir do decreto assinado por Getúlio Vargas, mais de 400 espécies de aves e 67 tipos de mamíferos espalhados por 30 mil hectares entre os Estados do Rio e de Minas passaram a viver sob proteção. Para marcar a data, a direção pretende transformar o parque em exemplo de preservação.

Meta ambiciosa para uma unidade que conta com menos de R$ 1 milhão de orçamento e cuja dis***** fundiária se arrasta há anos - dois terços do Itatiaia pertencem a propriedades privadas.

Mas é claro que não há só notícias desanimadoras. O parque - que atrai 80 mil visitantes por ano - continua lindo e a visita ainda é obrigatória (pelo menos para os espíritos aventureiros).

Antes de seguir viagem, é bom saber que o Itatiaia se divide em duas partes: a alta, onde estão o Pico das Agulhas Negras e o Maciço das Prateleiras, e a baixa, que abriga belas cachoeiras e alguns hotéis. Por terem acessos diferentes, cada parte cobra uma entrada: R$ 3 por pessoa na baixa e R$ 12 na alta. Em ambas, há uma taxa de R$ 5 por veículo.

Em comum, além da natureza exuberante, as duas áreas têm acessos ruins. As estradas que levam os visitantes às principais atrações são precárias.

Aniversariante reformado

Algumas melhorias, porém, já estão sendo postas em prática. Segundo o diretor, Walter Behr, as reformas começaram na parte baixa. O centro de visitantes deve ser inaugurado na quinta-feira. Outra iniciativa que já pode ser notada é a nova sinalização. ´Usamos somente materiais reciclados nas placas´, diz Behr. A sede administrativa também foi ampliada e uma nova exposição de animais empalhados deve começar ainda neste mês.

Na parte alta, funcionários trabalham na abertura de uma nova travessia, entre Serra Negra e Visconde de Mauá - e haverá um novo posto de vigilância.

História

O nome Itatiaia vem do tupi-guarani e significa ´pedra cheia de pontas´. Até 1908, todo o território do parque pertencia à família de Irineu Evangelista de Souza, mais conhecido como Visconde de Mauá (1813-1889). Nessa mesma época, muitos colonos alemães chegaram à região e compraram chácaras - seus descendentes estão lá até hoje.

Logo depois que os colonos se estabilizaram na área, as terras restantes foram compradas pela Fazenda Federal e, em 1937, toda a região foi declarada Parque Nacional. Mais informações sobre o Parque Nacional do Itatiaia ou pelo telefone: (0--24) 3352-1461 .

Como chegar

Pela Viação Cometa (4004- 9600), a passagem de ida e volta para o município de Itatiaia (no Estado do Rio) custa a partir de R$ 69. Se preferir chegar por Itamonte (no lado mineiro), a companhia tem linhas para Itanhandu (a 9 quilômetros de distância) e o bilhete de ida e volta sai por R$ 65. De lá, vá para Itamonte pela Viação Cidade do Aço (0800-703-4022). A tarifa de ida e volta custa R$ 28.

De carro

Itatiaia está no meio do caminho entre São Paulo (a 293 quilômetros) e Rio (a 170 quilômetros). Da capital paulista, siga pela Via Dutra e pegue o acesso para Itatiaia, no km 318. No total, são quatro pedágios na ida (R$ 21,90) e mais quatro de mesmo valor na volta. Para chegar até a parte alta, continue na Dutra até o povoado de Engenheiro Passos. Daí, pegue a estrada Rio-Caxambú (Circuito das Águas).

Fonte: O Estado de São Paulo

  
  

Publicado por em