Lançada campanha de arrecadação para parques e reservas da Amazônia

O WWF-Brasil e a AES Eletropaulo lançaram no dia 8 de junho, uma campanha de arrecadação de fundos para apoiar a criação e a manutenção de parques e reservas que fazem parte do Programa Áreas Protegidas da Amazônia (Arpa). Nas contas de clientes da A

  
  

O WWF-Brasil e a AES Eletropaulo lançaram no dia 8 de junho, uma campanha de arrecadação de fundos para apoiar a criação e a manutenção de parques e reservas que fazem parte do Programa Áreas Protegidas da Amazônia (Arpa).

Nas contas de clientes da AES Eletropaulo , que representam 9% da população do país , estarão estampadas mensagens sobre a importância da maior floresta tropical úmida do planeta e instruções para as doações, que devem ser depositadas numa conta bancária do WWF-Brasil.

Entre as informações destacadas está, por exemplo, o fato de que até 70% das chuvas que caem em São Paulo dependem da floresta na Amazônia, para não mencionar outras grandes cidades do país.

A campanha, criada pela agência DIM, que atende a AES Eletropaulo, tem como peça principal mensagens no verso das quase 5 milhões de contas de luz emitidas pela AES Eletropaulo. Spots de rádio, banners e peças impressas também fazem parte da iniciativa, que enfatiza a importância do envolvimento e da contribuição de cada indivíduo para a conservação da floresta.

`Além de apoiar a proteção desse patrimônio brasileiro, esta campanha marca uma iniciativa de parceria entre uma organização não-governamental nacional e uma empresa privada, possibilitando comunicação com os cidadãos, para apoiar um programa que é mais que governamental: ele é de interesse de todos`, diz Denise Hamú, secretária-geral do WWF-Brasil.

Para Demóstenes Barbosa da Silva, diretor de Gestão do Meio Ambiente e Mercado de Carbono no Grupo AES Brasil, é muito importante a divulgação e o suporte aos clientes da empresa para a participação no Programa ARPA.

`Significa a elevação do relacionamento da empresa com seus clientes no engajamento conjunto em suporte da vida de todos no planeta. Afinal, impactos ou benefícios ao meio ambiente são em geral globais, mas estão diretamente relacionados a ações locais`, afirma.

O dinheiro arrecadado com apoio da AES Eletropaulo será inteiramente revertido pelo WWF-Brasil ao fundo de capitalização permanente do Programa de Áreas Protegidas da Amazônia (Arpa). As doações poderão ser feitas diretamente pelo Banco do Brasil, conta corrente 78197-5, agência 3382-0, em nome do WWF-Brasil.

A derrubada e o mau uso da mata provocam mudanças no sistema hídrico de todo o país, o que pode diminuir a alimentação das usinas hidrelétricas e trazer novos períodos de `apagão`, além de profundas alterações no clima do planeta, entre outras graves conseqüências. Segundo Cláudio Maretti, coordenador do Programa de Áreas Protegidas e Apoio ao Arpa, do WWF-Brasil, `as pessoas têm muita dificuldade em fazer essas associações. Acreditam que por morar longe da floresta não têm qualquer tipo de responsabilidade com sua conservação e não são diretamente atingidas pela devastação e pelo mau uso dos recursos naturais, o que não é verdade`.

O Arpa foi criado oficialmente em 2003 pelo governo brasileiro, com o objetivo de consolidar 50 milhões de hectares de unidades de conservação na Amazônia, ao longo de 10 anos, incluindo a criação de cerca de 38 milhões de hectares de novas áreas protegidas (desde 2000).

Até o momento, são cerca de 20 milhões de hectares protegidos criados com apoio desse programa e 8 milhões de hectares em processo de consolidação.

Coordenado pelo Ministério do Meio Ambiente, o Arpa é implementado pelo Ibama em parceria com governos estaduais da Amazônia que aderiram ao programa. A gestão financeira e os processos de aquisição e contratação são de responsabilidade do Funbio.

Também participam do programa o Fundo Global para o Meio Ambiente (`GEF`), o Banco Mundial, o KfW (Banco de Cooperação da Alemanha), a GTZ agência de cooperação técnica da Alemanha) e o WWF-Brasil, com doações e cooperação técnica.

O WWF-Brasil participou da criação, da implantação, do planejamento, da gestão e da execução do programa, bem como atua na sua manutenção em longo prazo. Além do depósito de US$ 4,5 milhões no Fundo de Áreas Protegidas (FAP), desde 2003 a organização já destinou outros US$ 10 milhões para a execução do ARPA - para os processos de criação e implementação das unidades de conservação, como pesquisa, compra de equipamentos, infra-estrutura etc., parte dos US$ 70 milhões com os quais se comprometeu colaborar no prazo de 10 anos.

Fonte: Assessoria de Comunicação do WWF-Brasil

Del Valle Editoria
Contato: vininha@vininha.com

  
  

Publicado por em