Paraná, São Paulo e Bahia discutem preservação das Bacias Hidrográficas

O Instituto de Gestão das Águas e Clima (INGÁ) promove três audiências públicas para debater a criação do Comitê da Bacia Hidrográfica dos Rios Peruípe, Itanhém e Jucuruçu.

  
  

Nesta quinta e sexta-feira, dias 22 e 23, o Instituto de Gestão das Águas e Clima (INGÁ) promove três audiências públicas para debater a criação do Comitê da Bacia Hidrográfica dos Rios Peruípe, Itanhém e Jucuruçu. Este será o primeiro a ser instalado na região do extremo sul baiano.

Os encontros acontecem nos municípios de Teixeira de Freitas, Alcobaça e Itamaraju. Devem participar técnicos do INGÁ, representantes da sociedade civil e organizações não-governamentais.

Os rios atravessam 13 municípios do estado e as discussões vão permitir uma gestão mais eficiente dos recursos, além de abrir espaço para que a sociedade possa opinar. Segundo a coordenadora de Gestão Participativa do INGÁ, Milene Oberlaender, essa participação deve continuar depois de criado o comitê, para que a sociedade participe das decisões em relação aos recursos hídricos.

Os membros do comitê discutem entre outros temas os problemas ambientais, a situação dos mananciais e a realidade hídrica local e podem definir as prioridades dos recursos.

Em Teixeira de Freitas a audiência será realizada no dia 22 a partir das 19 horas no Campus X da Universidade do Estado da Bahia (Uneb). No dia 23 os encontros acontecem às 9h na Câmara Municipal de Alcobaça e será concluída às 14h na Câmara Municipal de Itamaraju.

Bacia do Paranapanema – Paraná e São Paulo

Na terça-feira, 20, a secretaria do Meio Ambiente e Recursos Hídricos do Paraná (SEMA/PR) promoveu uma reunião com o Grupo de Trabalho para a elaboração do plano de gestão integrada e preservação da Bacia do Rio Paranapanema. Participaram representantes das secretarias do meio ambiente dos estados do Paraná e São Paulo.

O Rio Paranapanema é de responsabilidade da União e passa por 267 municípios, 141 deles estão no Paraná. Aproximadamente 4 milhões de habitantes residem nas proximidades da bacia, sendo 62% paranaenses. Muitos deles exercem atividades profissionais relacionadas às bacia. Durante o encontro foi elaborada uma minuta de protocolo de troca de informações entre União e Estados.

Fonte: Ambiente Brasil

  
  

Publicado por em