Programa busca integração do PNI com entorno do Parque Nacional do Iguaçu

O Programa de Desenvolvimento do Turismo Sustentável no entorno do Parque Nacional do Iguaçu foi apresentado no dia 22/2, aos prefeitos e secretários de municípios vizinhos à unidade de conservação. A apresentação, feita pelo Ibama (Instituto Brasilei

  
  

O Programa de Desenvolvimento do Turismo Sustentável no entorno do Parque Nacional do Iguaçu foi apresentado no dia 22/2, aos prefeitos e secretários de municípios vizinhos à unidade de conservação.

A apresentação, feita pelo Ibama (Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis),aconteceu no Tropical das Cataratas, em Foz do Iguaçu.

A iniciativa, que marcou o aniversário de 16 anos do Ibama, comemorado, na terça-feira, abrange as cidades São Miguel do Iguaçu, Santa Terezinha de Itaipu, Matelândia, Serranópolis do Iguaçu, Céu Azul, Santa Tereza do Oeste, Lindoeste, Santa Lúcia, Capitão Leônidas e Capanema.

Destes, Céu Azul (ecotrilha) e São Miguel do Iguaçu (Linha Martins que corresponde a caminhada e passeio de barco) já possuem passeios ecológicos dentro da unidade de conservação.

A idéia é que cada localidade tenha seu próprio atrativo, para depois integrar todo o roteiro. O cronograma para 2005 prevê incluir Foz do Iguaçu e Medianeira no roteiro.

Durante o encontro, os coordenadores do projeto fizeram um balanço das atividades executadas ao longo do ano passado, visando a criação de novos produtos turísticos nos municípios lindeiros, a aproximação com as comunidades vizinhas ao parque, a formatação de pacotes turísticos, a identificação de parcerias, produção de inventários, entre outras medidas.

Em seu ano experimental, as ações receberam investimento de R$ 101,7 mil.Desenvolvida pelo Ibama, Parque Nacional do Iguaçu, Secretaria de Estado do Turismo e Ecoparaná, a proposta foi bem aceita pelos participantes.

Integração :

O superintendente do Ibama no Paraná, Marino Gonçalves, apontou como meta promover “uma revolução silenciosa, uma virada silenciosa” no relacionamento entre o órgão federal e as comunidades do entorno, que antes era considera tensa, mas agora caminha em busca de harmonização.

“Nós queremos, por exemplo, que o turista das Cataratas do Iguaçu saiba que Capanema tem potencial no esporte radical. O Ibama só tem razão de ser quando anda em conjunto com a sociedade. O momento é de diálogo”, disse
Gonçalvez, frisando que todos devem acreditar na aproximação entre as partes.

O chefe do Parque Nacional do Iguaçu, Jorge Pegoraro, afirmou que o Ibama quer ser o âncora dos municípios lindeiros.

“Queremos consolidar a marca de um milhão de visitantes ao ano. Os turistas que chegam a Foz precisam saber da existência de atrativos de cada município, por isso queremos implantar um roteiro integrando todos os lindeiros”, resumiu Pegoraro.

Tabulação :

Um das ações de destaques foi realização de uma pesquisa para saber o interesse em conhecer atrativos do entorno e outros dados. Do universo de 400 amostras, 85% demonstrou interesse, 10% indicou interesse relativo e 5% disse não à proposta.

O segmento do turismo que mais interessa aos entrevistados são ecoturismo (44%), aventura (23%), cultural (16%), eventos (7%),religioso (5%) e rural (5%).

Das atividades que os entrevistados gostariam de desenvolver no entorno do parque, aparecem com destaque caminhada (25%), passeio de barco (23%),banho em cachoeira (22%), rafting (15%), cavalgada (13%) e outros (2%).

O coordenadora do programa, Raquel Muller, que apresentou o balanço aos representantes dos municípios, destacou ainda a promoção de oficinas de trabalho, visitas e caravanas técnicas, oficinas de sensibilização e identificação de alternativas para o desenvolvimento turístico, elaboração de material de divulgação de roteiro piloto, entre outras ações.

Fonte: Agência Front

  
  

Publicado por em