Sementes de palmito foram lançadas sobre o Parque Estadual das Lauráceas -PR

Meia tonelada de sementes de palmito foi lançada de helicóptero, sobre o Parque Estadual das Lauráceas, localizado entre os municípios de Tunas do Paraná e Adrianópolis. A aerosemeadura, operação realizada pela primeira vez neste parque, tem como obje

  
  

Meia tonelada de sementes de palmito foi lançada de helicóptero, sobre o Parque Estadual das Lauráceas, localizado entre os municípios de Tunas do Paraná e Adrianópolis.

A aerosemeadura, operação realizada pela primeira vez neste parque, tem como objetivo recuperar a espécie, em razão da exploração ilegal naquela região.Pela proximidade de São Paulo, a travessia do rio Pardo serve como rota para a condução do palmito ao estado vizinho.

O secretário estadual do Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Luiz Eduardo Cheida, que acompanhou o processo de aerosemeadura, disse que a intenção é realizar este tipo de operação para toda a área de Floresta Atlântica do Estado.

"O projeto faz parte de um amplo programa de proteção da Floresta Atlântica, um dos cinco biomas mais ameaçados do mundo", explica. O Parque Estadual das Lauráceas é o maior parque do Estado, com uma área de 27 mil hectares, pouco menor que a do município de Curitiba.

Cheida destacou ainda a importância de um monitoramento permanente na área para coibir a exploração.

"A fiscalização deve ser constante, com a participação do IAP - Instituto Ambiental do Paraná e da Polícia Florestal, utilizando-se inclusive de helicópteros para este trabalho", considera.

Na aerosemeadura, o índice de aproveitamento das sementes varia de 50% a 60%. Com a ação realizada nesta quarta, lançando cerca de 200 mil sementes, o Parque Estadual das Lauráceas deverá ter nos próximos anos entre 100 mil e 120 mil novas árvores de palmito.

Para garantir um rendimento ainda melhor, a Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos espera contar com o apoio do Iapar - Instituto Agronômico do Paraná no processo de "coroamento" do palmito, ou seja, limpeza da área ao redor da planta para possibilitar seu crescimento.

O diretor-presidente do IAP, Rasca Rodrigues, explicou que as sementes utilizadas no processo de aerosemeadura são selecionadas e passam por um preparo especial para criar condições ideais à fertilização.

Fonte: Agência de Notícias do Governo do Paraná

  
  

Publicado por em

Luiz Vale do Ribeira

Luiz Vale do Ribeira

28/10/2010 16:24:45
a ideia é excelente, mas tem que ter uma fiscalização mais rigida em toda a região, para que toda essa exuberante mata atlantica seja cada vez mais preservada, preservar todo o Vale do Ribeira é prioridade, valeeeuuuu!!!!!