Transgênicos estão proibidos no entorno de Parque Nacional

O chefe do PNI - Parque Nacional do Iguaçu (PR), Jorge Pegoraro, afirmou no dia 30/9, que não há qualquer tipo de restrição por parte do Ibama - Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis ao plantio de cultura convencionais c

  
  

O chefe do PNI - Parque Nacional do Iguaçu (PR), Jorge Pegoraro, afirmou no dia 30/9, que não há qualquer tipo de restrição por parte do Ibama - Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis ao plantio de cultura convencionais como a soja, o milho e o trigo na área de entorno do PNI.

Ele esclareceu a questão a um grupo de vereadores da Acamop - Associação da Câmara de Vereadores do Oeste do Paraná preocupados com notícias veiculadas na imprensa sobre suposta restrição na região lindeira ao parque nacional.

Pegoraro enfatizou que as resoluções que regem a área do entorno do parque não foram modificadas. Quanto ao plantio de sementes transgênicas no entorno do Parque nacional do Iguaçu, a própria MP - Medida Provisória 131/2003, editada pelo governo federal, liberando o plantio das sementes, proíbe o uso em áreas de unidades de conservação e suas respectivas zonas de amortecimento.

`O parque está apoiando e incentivando a agricultura orgânica e o plantio direto na região. A nossa proposta é estreitar as relações e integrar o parque às comunidades lindeiras`, pontuou Pegoraro.

Ele ressaltou ainda que o parque nacional será mais instrumento de geração de renda das cidades lindeiras sempre que observadas as normas de proteção e preservação da unidade.

Como exemplo o chefe do parque citou a parceria com alguns municípios na abertura de trilhas no parque para promoção do turismo e no trabalho de educação ambiental. E explicou que as medidas para a zona de amortecimento -área mais conhecida como entorno do parque - são antigas e de conhecimento de todos os agricultores.

Segundo ele a área foi criada pela resolução número 13 do Conama -Conselho Nacional de Meio Ambiente de 1990, estabelecendo um raio de dez quilômetros das unidades de conservação. Entre outras normativas, na zona é proibido o uso de fumigação aérea e os maquinários agrícolas devem ser lavados em abastecedouros comunitários.

É necessário ainda o licenciamento ambiental para indústrias potencialmente poluidora com anuência da direção do parque para a implantação.

O encontro teve a participação ainda de lideranças políticas e sindicais de Capitão Leônidas Marques, Matelândia, Serranópolis do Iguaçu, Medianeira,Foz do Iguaçu e Cascavel. O prefeito de Serrranópolis do Iguaçu, Neivo Perlin (PT) também participou da reunião. O presidente da Acamop, Júlio César Leme da Silva, vereador de Cascavel, afirmou que o diálogo foi proveitoso e serviu para aprofundar as discussões das estratégias de desenvolvimento da região. A direção do Ibama recebeu convite para novas rodadas de discussões nas cidades do entorno.

Fonte: Ibama

  
  

Publicado por em