Biblioteca Verde será inaugurada em Jaguariúna-SP

O prefeito de Jaguariúna, Tarcizo Chiavegato, anunciou hoje durante a realização do I Encontro Técnico Social e Ambiente a inauguração, na próxima terça-feira, dia 22, do projeto Sala Verde, uma biblioteca com 200 títulos relacionados ao meio ambiente e q

  
  

O prefeito de Jaguariúna, Tarcizo Chiavegato, anunciou hoje durante a realização do I Encontro Técnico Social e Ambiente a inauguração, na próxima terça-feira, dia 22, do projeto Sala Verde, uma biblioteca com 200 títulos relacionados ao meio ambiente e que servirá para as pesquisas de professores e para as consultas de alunos que visitarem o Centro de Educação Municipal Ambiental “Dr. Darcy Machado de Souza”.

A Sala Verde de Jaguariúna, primeira a ser inaugurada na Região Metropolitana de Campinas – RMC, é uma extensão de um programa de educação ambiental que já vem sendo desenvolvido desde o ano passado pelo
município e incrementado, a partir de agora, com uma série de novas ações.

“O primeiro kit com 50 obras já foi entregue pelo Ministério do Meio do Meio Ambiente e outro, com a mesma quantidade de livros estará disponibilizado nos próximos dias”, explica o supervisor escolar Tomaz de Aquino
Pires, responsável pela Educação Ambiental na rede de ensino do município.

O Projeto Sala Verde é coordenado pela Diretoria de Educação Ambiental do Ministério do Meio Ambiente (DEA/MMA) e consiste no incentivo para a implantação de bibliotecas que objetivem constituir num Centro de
Informações Ambientais.

A perspectiva deste projeto é a de potencializar espaços, estruturas e iniciativas já existentes em diversas instituições, como órgãos públicos (municipais, distritais, estaduais e federais), privados e do terceiro setor que já desempenham papel e realizam ações com a perspectiva de democratização de informações ambientais nas regiões e com os público com os quais atuam.

O Brasil dispõe de 111 Salas Verdes. Na Região Metropolitana de Campinas, além de Jaguariuna, também Indaiatuba e Mogi Mirim deverão implantar Salas Verdes ainda este ano.

Para receber o projeto, o município se responsabiliza pelas instalacões físicas e por desenvolver as atividades de Educação Ambiental. Ao Governo Federal, por meio do Ministério do Meio Ambiente cabe a doação dos livros, ampliando o acervo a cada seis meses.

“Para ser viabilizada, a Sala Verde deve ser visualizada como uma iniciativa que dispõe de uma série de potencialidades, entre elas, ambientais,culturais,sociais, informacionais, de pesquisa e articuladoras, dentre outras.

Nestes espaços, pretende-se que as comunidades tenham acesso à informações ambientais; à atividades e eventos de caráter ecológico e cultural, dentre outras ações e processos educacionais voltados a questão ambiental”, explica Tomaz Pires

Para Jaguariúna, o projeto Sala Verde chega para apoiar as atividades já desenvolvidas pelas escolas em educação Ambiental.

“Não se trata de simplesmente um espaço ou de uma biblioteca. Dela deve emanar uma série de oficinas, palestras e atividade que visem a educação ambiental, complementando o trabalho que vem sendo realizado pelas escolas. É um espaço de construção e socialização do conhecimento da temática ambiental, diz.

Fonte: Ateliê da Notícia

  
  

Publicado por em

FRANCISCO ITAMAR LOPES

FRANCISCO ITAMAR LOPES

22/10/2008 16:26:43
maravilhoso esse programa, queria muito fazer em meu municipio já que sou coordenador de meio ambiente.Moro em Aquiraz- ceará, e queria saber mais sobre como adquirir ums sala verde para o meu municipio.voces estão de parabens, é o inicio para que todos possam saber ou estudar um pouco sobre meio ambiente, estamos precisando despertar nas pessoas a grande responsabilidade do mesmo.Parabens, é assim que devemos trabalhar para pelo menos minimizar essa situação.