Brasil e China buscam intercâmbio de recursos genéticos e tecnologia

Uma comitiva chinesa da Academia Chinesa de Ciências Agrárias (CAAS) visita, entre 27/09 e a próxima quinta-feira (30/09), a unidade Recursos Genéticos e Biotecnologia da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária(Embrapa), vinculada ao Ministério da Agr

  
  

Uma comitiva chinesa da Academia Chinesa de Ciências Agrárias (CAAS) visita, entre 27/09 e a próxima quinta-feira (30/09), a unidade Recursos Genéticos e Biotecnologia da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária(Embrapa), vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, em Brasília (DF).

O objetivo é discutir detalhes do programa de cooperação em recursos genéticos, além de outras possibilidades de intercâmbio e transferência de tecnologias entre Brasil e China. A missão é composta por Mei Tao, chefe da Divisão de Plantas da CAAS; Ruzhen Chang, pesquisador de soja; e Liqing Wei, professora associada da Divisão de Pesquisa.

A vinda da comitiva chinesa ao Brasil é um desdobramento da visita da missão da Embrapa à China, em maio, quando foi assinado um termo de cooperação técnica e científica entre as duas instituições e definido um plano de trabalho para os próximos três anos. Na Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia, as discussões estarão centradas nos temas intercâmbio de recursos genéticos e cooperação na área biotecnológica.

Genética :

A primeira atividade realizada a partir da cooperação técnica entre Brasil e China foi a troca de listas de materiais genéticos que podem ser intercambiados entre os dois países. Essa troca foi efetuada durante a visita do chefe-geral da Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia, José Manuel Cabral, ao Institute of Crop Sciences de Pequim, entre 31 de agosto e 3 de setembro.

A lista de materiais disponíveis para intercâmbio proposta pelo Brasil é constituída de 1.607 acessos de recursos genéticos, distribuídos por 12 diferentes espécies, incluindo abacaxi, amendoim, algodão, milho, arroz, trigo, melão, soja, feijão, pimenta, etc.

A lista chinesa tem 1.500 acessos de 17 diferentes espécies e, além das culturas da lista brasileira, tem também cevada, tomate, alface, repolho, feijão caupí, pepino, repolho chinês, mostarda, sorgo e milheto.

A missão chinesa discutirá os detalhes técnicos desse intercâmbio, além de futuras linhas de cooperação na área biotecnológica. Segundo Cabral, os chineses têm interesse especial em soja e arroz de sequeiro em terras altas e o Brasil está mais centrado em soja, arroz híbrido, trigo e hortaliças.

Essa é a quinta unidade de pesquisa da Embrapa a ser visitada pela comitiva da CAAS. Eles já estiveram na Embrapa Soja, em Londrina (PR); Embrapa Arroz e Feijão, em Santo Antônio de Goiás (GO); Embrapa Trigo, em Passo Fundo (RS); e a Embrapa Amazônia Ocidental, em Manaus (AM). Em Brasília, os cientistas chineses também visitarão a Embrapa Hortaliças.

Fonte: Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento

  
  

Publicado por em